x

BENEFÍCIOS

INSS e DPU fecham acordo para acabar com exigências que prejudicam beneficiários; entenda

Entre as demandas está a revogação de um dispositivo que prevê a exigência de documentos com fotos para menores de 16 anos na perícia médica do BPC/Loas.

22/02/2024 15:30:02

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
DPU e INSS fecham acordo para beneficiar grupos vulneráveis

INSS e DPU fecham acordo para acabar com exigências que prejudicam beneficiários; entenda Foto: Cytonn Photography/Pexels

Nos dias 7 e 8 de fevereiro a Defensoria Pública da União (DPU) e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) se reuniram para fechar acordos que beneficiam grupos em situação de vulnerabilidade.

Dentre as demandas atendidas pelo INSS está a revogação de um dispositivo que prevê exigir documentos com foto para menores de 16 anos para fazer perícia médica no requerimento de Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas).

Conforme explica a defensora pública federal e coordenadora substituta da Câmara de Coordenação e Revisão Previdenciária (CCR PREV), Carolina Botelho, a exigência causa transtornos para familiares necessitados de benefícios.

Diante dessa realidade, a DPU sugere que sejam adotados outros protocolos de identificação no atendimento médico pericial aos menores de 16 anos.

Sendo assim, a sugestão é a utilização de banco de dados do Cadastro Único (CadÚnico), além da confirmação da composição familiar por meio da visita social.

Além disso, sugere-se também a realização de parcerias com o Instituto de Identificação, em situações de mutirões para realização de perícias médicas, conforme menciona o documento encaminhado ao INSS. A solicitação foi atendida e o órgão deve publicar uma portaria com a mudança.

Outro ponto que também foi discutido pelas entidades está nos obstáculos ao fazer o preenchimento da autodeclaração online para benefícios previdenciários em comunidades quilombolas.

Ao selecionar a opção “Rural”, de acordo com defensores, o cidadão é direcionado para um formulário online que aborda exclusivamente questões relacionadas ao Imposto Territorial Rural (ITR), no entanto, as terras coletivas das comunidades quilombolas não apresentam essa obrigatoriedade.

Diante desse problema, a DPU também formalizou a demanda e o INSS pediu o envio dos prints das telas que tratam dos casos relatados para verificar a possibilidade de ajustes.

Vale destacar que os prazos para fazer a análise dos requerimentos dos benefícios e de realização de perícias médicas, segundo acordo definido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), também estavam na pauta da discussão. Conforme o acerto, a previsão é que os prazos não ultrapassem 90 dias e possam variar conforme a espécie e o grau de complexidade.

Com informações do Consultor Jurídico

Leia mais sobre

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.