x

inconsistências contábeis

Americanas reporta prejuízo de R$ 4,6 bilhões em 2023 após anúncio de inconsistências contábeis

Queda nas vendas da Americanas estão ligadas à desconfiança dos consumidores após os escândalos financeiros.

27/02/2024 11:30:01

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
Americanas tem prejuízo de R$ 4,6 bilhões após inconsistências contábeis

Americanas reporta prejuízo de R$ 4,6 bilhões em 2023 após anúncio de inconsistências contábeis

A Americanas divulgou na última segunda-feira (26) um prejuízo de R$ 4,61 bilhões em seu balanço corporativo referente aos nove primeiros meses de 2023. 

Esses resultados estavam suspensos desde o início do ano anterior, quando a empresa revelou uma fraude bilionária em suas demonstrações financeiras, apontando sérias inconsistências contábeis.

Este prejuízo expressivo foi impulsionado por uma queda significativa de 45,1% na receita líquida da empresa durante o mesmo período de comparação, totalizando R$ 10,293 bilhões nos três trimestres em questão. Essa queda na receita foi especialmente marcada por uma queda drástica de 77,1% nas vendas por canais digitais da companhia entre janeiro e setembro de 2023, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

A Americanas já havia registrado prejuízos de R$ 12,9 bilhões em 2022 e R$ 6,2 bilhões em 2021, com os números sendo revistos após a revelação das "inconsistências contábeis", que afetaram a ordem de R$ 20 bilhões em seus balanços. Essas discrepâncias financeiras levaram a empresa a buscar a proteção da recuperação judicial em janeiro de 2023.

Os canais digitais, que historicamente foram uma força impulsionadora das vendas da Americanas, foram os mais atingidos, com um declínio alarmante em sua participação no volume bruto de mercadorias (GMV). De R$ 20,9 bilhões nos primeiros nove meses de 2022, o GMV digital caiu para R$ 4,8 bilhões no mesmo período de 2023, representando agora apenas 30% do total da empresa.

Enquanto isso, as lojas físicas mostraram uma resiliência relativa, com um declínio mais moderado de 4,4% em seu GMV entre os dois períodos comparativos. No entanto, elas agora representam quase 58% das vendas totais da Americanas, um aumento significativo em relação aos 29% registrados no mesmo período de 2022.

A empresa atribuiu parte da queda nas vendas digitais à desconfiança dos consumidores após os escândalos financeiros e ao processo de recuperação judicial, além de mudanças estratégicas deliberadas para priorizar a rentabilidade e reduzir a queima de caixa operacional.

O plano de recuperação judicial da Americanas, aprovado pelos credores em dezembro de 2023, inclui um aporte de R$ 12 bilhões em aumento de capital pelos principais acionistas, bem como a venda de ativos para reestruturar suas finanças e enfrentar os desafios decorrentes das inconsistências contábeis reveladas.

Leia mais sobre

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.