x

Receita informa que ainda não decidiu se vai liberar declarações retidas na malha fina

A Receita Federal informou ontem (06/02/09) que ainda não decidiu se liberará as restituições do Imposto de Renda (IR) de declarações

07/02/2009 00:00:00

1,5 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

A Receita Federal informou ontem (06/02/09) que ainda não decidiu se liberará as restituições do Imposto de Renda (IR) de declarações retidas na malha fina para estimular a economia. O órgão, no entanto, não desmentiu a medida e informou que estudos estão sendo realizados para adaptar o país à nova realidade econômica.

"Diversos estudos estão sendo realizados, dado o novo contexto macroeconômico, mas, até o presente momento, não há decisão pela realização de cortes nas declarações retidas em malha", informou a Receita em comunicado emitido no final da tarde.

De acordo com a Receita, a decisão cabe apenas à sede da Receita em Brasília e não é de responsabilidade de superintendências regionais. "A Secretaria da Receita da Federal do Brasil esclarece que os parâmetros que definem a quantidade de declarações de imposto de renda pessoa física incidentes em malha fiscal são estabelecidos pelo órgão central, têm caráter nacional e são fixados por critérios impessoais e objetivos", destacou a nota.

Reportagem publicada na última sexta-feira (06/02) pelo jornal Folha de S.Paulo informa que a Superintendência Regional da Receita em São Paulo estuda a liberação de 100 mil declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física retidas na malha fina. Essas declarações têm saldo a pagar ou a restituir de até R$ 3 mil. O objetivo da medida, de acordo com a publicação, seria fornecer mais dinheiro ao contribuinte e estimular a atividade econômica.

Fonte: Agência Brasil

Enviado por: Wilson Fernando de Almeida Fortunato

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.