x

Arrecadação de impostos foi recorde em junho

Os brasileiros pagaram em impostos e contribuições federais em junho R$ 31,582 bilhões. Volume recorde para o mês e que representa um crescimento real de 10,83%

20/07/2005 00:00:00

2,3 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Os brasileiros pagaram em impostos e contribuições federais em junho R$ 31,582 bilhões. Volume recorde para o mês e que representa um crescimento real de 10,83% sobre igual período de 2004. No ano, a arrecadação já chega a R$ 175,727 bilhões e também é o melhor resultado da série histórica da Receita Federal (iniciada em 1985) para o primeiro semestre do ano. O Fisco considerou o desempenho razoável, embora o resultado para receitas administradas - que excluem royalties , dividendos das estatais e contribuição para seguridade social do servidor público - seja R$ 14,2 bilhões superior ao projetado. A previsão do governo para essas receitas era de R$ 153,1 bilhões no primeiro semestre, mas foram arrecadados R$ 167,3 bilhões. O aumento da arrecadação resultou, principalmente, de uma mudança feita na tributação do mercado financeiro. Desde novembro de 2004, a cobrança do Imposto de Renda sobre aplicações em fundos de investimento passou de mensal para semestral, com recolhimento em junho e dezembro. A mudança gerou um aumento de 202,69% do IR retido na fonte sobre rendimentos de capital na comparação entre junho de 2005 e o mesmo mês em 2004. Segundo o secretário-adjunto do Fisco, Ricardo Pinheiro, a alteração não influenciou a arrecadação do ano. Ao modificar o recolhimento do IR para estimular investimentos de longo prazo, o governo estimava uma renúncia fiscal de R$ 500 milhões por ano, o que não aconteceu. - Se não houvesse aumento no número de investidores no mercado financeiro, poderia ter havido perdas. Isso é o imponderável. É como colocar uma moeda numa máquina caça-níqueis - ponderou Pinheiro.

Fonte: O Globo

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.