x

Técnicos da Receita fazem nova greve

BRASÍLIA. Os técnicos da Receita Federal iniciaram ontem mais uma paralisação de três dias em protesto à forma como a categoria foi tratada na medida provisória

27/07/2005 00:00:00

2,1 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

BRASÍLIA. Os técnicos da Receita Federal iniciaram ontem mais uma paralisação de três dias em protesto à forma como a categoria foi tratada na medida provisória (MP) que criou a Super Receita - estrutura que unificou as secretarias da Receita Federal e da Receita Previdenciária. A greve prejudica o atendimento aos contribuintes nos postos do Fisco e também a fiscalização de cargas em portos, aeroportos e fronteiras. Nos postos, só estão sendo atendidos idosos, gestantes, deficientes e pessoas que estão no fim do prazo para resolver pendências. Na semana passada, os técnicos já haviam feito uma paralisação de três dias que teve a adesão de 90% da categoria. O protesto acabou atrapalhando o desempenho da balança comercial na semana. O superávit caiu de US$ 985 milhões na terceira semana para US$ 343 milhões na quarta semana de julho. O Sindicato Nacional dos Técnicos da Receita Federal (Sindireceita) diz que a categoria foi prejudicada pela nova estrutura. Isso porque os técnicos vinham lutando para que sua carreira fosse equiparada à dos auditores da Receita. Eles alegam que têm o mesmo preparo que os auditores, mas menos atribuições e salários menores. O Sindireceita esperava que a Super Receita tratasse técnicos e auditores como uma única categoria. Mas, na verdade, a MP propôs apenas a unificação das carreiras de auditores da Receita Federal e da Previdência Social. Segundo o Sindireceita, o projeto pode até mesmo resultar na extinção da carreira de técnico. O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais (Unafisco) também está realizando assembléias nacionais e não descarta a possibilidade de fazer paralisações.

Fonte: O Globo

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.