x

Apesar de extinta, a CPMF ainda engorda o caixa do governo.

O Impostômetro mostra quanto os brasileiros pagaram de tributos desde o início do ano até o dia 08/03: R$ 200 bi.A Contribuição

11/03/2009 00:00:00

1,4 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

O Impostômetro mostra quanto os brasileiros pagaram de tributos desde o início do ano até o dia 08/03: R$ 200 bi.

A Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) deixou de ser cobrada desde o início do ano passado, mas ainda gera impacto para os cofres da União. No ano passado, o governo federal recolheu R$ 1,15 bilhão com o tributo. E nos primeiros dois meses deste ano, a contribuição rendeu R$ 25 milhões. Os valores aparecem no site do Impostômetro, uma versão do painel eletrônico instalado no prédio da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que está de visual novo e mede em tempo real a arrecadação de impostos dos governos federal, estaduais e municipais.

De acordo com o presidente do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), o tributarista Gilberto Luiz do Amaral, que desenvolveu o painel eletrônico para a ACSP, os recolhimentos decorrem de ações judiciais antigas ganhas pela União, valores pagos em atraso pelos contribuintes e a entrada de parcelas de negociações com a Receita Federal. Mesmo extinta, a CPMF aparece até hoje nos relatórios do governo federal, que servem de base para os cálculos do IBPT. Para Amaral, a contribuição continuará se refletindo na arrecadação, embora em patamares menores, até 2010. "O montante recolhido hoje é irrisório, perto do arrecadado pelo governo. Em 2007, por exemplo, o recolhimento da contribuição rendeu R$ 34 bilhões", lembrou.

Os autos de infração envolvendo o tributo também pesam nas atuais entradas da CPMF nos cofres da União. Muitos bancos e empresas autuados decidiram pagar a contribuição em vez de discutir no Judiciário. Há também casos de recolhimentos provenientes do parcelamento de débitos, motivados por autuações do Fisco. "Esses resultados ainda aparecem nos cofres públicos e isso ainda deve continuar por algum tempo", concluiu o tributarista do IBPT.

No dia 08/03, o Impostômetro indicou que R$ 200 bilhões entraram nos cofres públicos desde o início deste ano. O montante foi obtido quatro dias antes na comparação com o ano passado, indicando que os brasileiros continuam a pagar mais tributos, apesar da queda no recolhimento da Receita Federal registrada nos últimos meses. Por conta desse recuo, a arrecadação de R$ 300 bilhões neste ano, segundo Amaral, será alcançada no Impostômetro alguns dias depois na comparação com 2008. Será a primeira vez que isso ocorre desde 2003, resultado dos efeitos da crise nos cofres do governo.

Fonte: Diário do Comércio

Enviado por: Wilson Fernando de Almeida Fortunato

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.

Ajude a divulgar o nosso Congresso de Contabilidade.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.

Ajude a divulgar o nosso Congresso de Contabilidade.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.

?>