x

Programa habitacional pode beneficiar pequena construtora

É o que acredita o presidente do Sinduscon-SP, Sergio Watanabe, para quem pequenas e médias empresas devem aproveitar o momento para apresentar

27/03/2009 00:00:00

1,7 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

É o que acredita o presidente do Sinduscon-SP, Sergio Watanabe, para quem pequenas e médias empresas devem aproveitar o momento para apresentar projetos à Caixa Econômica Federal

As pequenas empresas do País devem aproveitar a oportunidade do pacote habitacional lançado quarta-feira (25) pelo governo federal, acredita o presidente do Sindicato da Indústria da construção Civil de São Paulo, Sérgio Watanabe. Segundo ele, a conjuntura econômica não permite à maioria das empresas escolher o tipo de moradia que quer produzir.

"O momento é de estruturar projetos e apresentá-los à Caixa Econômica Federal. O banco fará a análise e compra do empreendimento, que deve beneficiar quem ganha até três salários mínimos", afirma.

Segundo Watanabe, algumas construtoras já têm terrenos comprados e podem aproveitar para entrar no projeto. O pacote apresentado ontem, de acordo com o presidente do Sinduscon-SP, é para todo tamanho de empresas, mas pode ajudar pequenas construtoras que vêm enfrentando dificuldades de financiamento.

Ele admite que as megacorporações dificilmente terão interesse nesses empreendimentos, pois, normalmente, constróem para as classes mais abastadas. Watanabe elogia a proposta, afirmando que o Fundo Garantidor minimiza o risco do crédito.

"As medidas garantem conforto ao comprador, que é o mais importante do ciclo de vendas. Se ele perder o emprego, por exemplo, terá como garantia a suspensão do pagamento até encontrar um novo emprego. Sua dívida é postergada para o fim do contrato", explica.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

Enviado por: Wilson Fernando A. Fortunato

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.