PARTICIPE

O Maior Evento Online Contábil do País - Inscrições gratuitas

19 a 23 de junho de 2017

www.conbcon.com.br
x

Contábeis o portal da profissão contábil

27
May 2017
14:34
você está em:

Conteúdo » Artigos

Contabilidade de Organizações Religiosas

postado 07/04/2011 19:28:16 - 28.164 acessos

Nem todas as entidades do terceiro setor, mesmo as que pratiquem ações sociais e filantrópicas, têm
isenção total de tributos, pois a isenção pode ser total ou parcial, dependendo do cumprimento de
determinados aspectos específicos da regulamentação.

Muitos acham que a instituição chamada igreja / entidades imunes ou isentas não tem
obrigatoriedades, entendem erroneamente que ela não precisa ser aberta juridicamente e nem se manter
registros contábeis.

O Código Civil em seu inciso IV artigo 44 estabelece que as organizações religiosas sejam
pessoas jurídicas de direito privado, necessitando assim, obrigatoriamente seu registro no Cartório de
Pessoa Jurídica.

A partir do registro no Cartório, a igreja obrigatoriamente terá que ter alguns documentos e atender
algumas obrigações, como:

· Estatuto: Devidamente registrada em cartório;

· Inscrição no Cadastro do CNPJ: Conforme a Lei 4.503 de 30/11/64, que institui a
obrigatoriedade da inscrição do CNPJ no Ministério da Fazenda, da igreja matriz e suas filiais,
cuja identificação, no caso das congregações, será pelo número de ordem e barra do referido
CNPJ.

· Carimbo do CNPJ: Conforme Decreto 61.514 de 12/10/67, que tornou obrigatório o uso do
carimbo do CNPJ para a igreja matriz e suas congregações

· Livro Caixa ou Diário/Razão: Conforme determina o Regulamento do Imposto de Renda, a
igreja é obrigada a possuir um Livro Caixa com o Balanço de Abertura, Termo de Abertura e
Termo de Encerramento, o qual depois de registrado em cartório, a igreja devera iniciar a
escrituração de todas as receitas e despesas e as contas patrimoniais.

· Livro de Ata: A igreja está obrigada a possuir o Livro de Ata, devidamente registrada em
cartório com os devidos Termos de Abertura e Termo de Encerramento.

· Rais Negativo: Todas as igrejas, enumeradas no Decreto 76.900 de 13/12/75, devem
apresentar anualmente e dentro do prazo legal o RAIZ NEGATIVO, quando as igrejas não
possuírem empregados registrados, conforme determinação da CLT (Consolidação das Leis do
Trabalho).

· Declaração de Isenção: Conforme determina o Decreto Federal nº 1.041 (SUBSEÇÃO II), todas
as igrejas estão obrigadas a entregar anualmente a Receita Federal, até o mês de Junho de
cada ano, sua Declaração de Isenção do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica.

· Matricula no INSS: Após o registro do estatuto e da inscrição do CNPJ, a igreja deve
providenciar sua matrícula no INSS.

· Ata de Eleição da Diretoria: A igreja deve transcrever em Ata da Eleição da última diretoria e
providenciar seu registro em cartório

· Imposto Sindical Patronal: Revestida de natureza jurídica as entidades sem fins lucrativos,
como no nosso caso as igrejas, são consideradas empregadoras. Portanto, deverão recolher no
mês de janeiro de cada ano o imposto sindical patronal ou solicitar a sua isenção.

· Contrato de locação: Se o templo for alugado ou Escritura definitiva dos imóveis, Contrato de
cessão de direito dos imóveis.

· Manter Contabilidade: A contabilidade torna-se obrigatória porque é necessária para a
prestação de contas perante aos membros, como também para fins de isenção do Imposto de
Renda, já que o artigo 14 do Código Tributário Nacional prevê: Art. 14. O disposto na alínea “e”
do inciso IV do artigo 9º é subordinado à observância dos seguintes requisitos pelas entidades
nele referidas:

1. Não distribuírem qualquer parcela de seu patrimônio ou se suas rendas, a qualquer
título;
2. Aplicarem integralmente no País, os seus recursos na manutenção dos seis objetivos
institucionais;
3. Manterem escrituração de suas receitas e despesas em livros revestidos de
formalidades capazes de assegurar sua exatidão;

· Declarações: Devem ser enviadas as declarações de pessoa jurídica, tais como DIPJ, DCT,
DACON e DIRF.

1. DACON – Não é obrigada a apresentação às pessoas jurídicas imunes ou isentas que
tiver um valor inferior de 10.000,00 mensais nas contribuições.
2. DIRF: Caso houver pagamentos sujeitos ao IRF, a entidade deverá reter o imposto
respectivo e recolhê-lo nos prazos determinados pela legislação. Neste caso, deverá
ser entregue a DIRF no ano subseqüente da retenção.
Fundamentos Legais: RIR/1999 | IN SRF 695/2006 alterada pela IN SRF 730/2007

· Folha de pagamento: A entidade isenta deve manter as folhas de pagamento relativas ao
período, bem como os respectivos documentos de arrecadação que comprovem o recolhimento
das contribuições ao Instituto Nacional do Seguro Social, além de outros documentos que
possam vir a ser solicitados pela fiscalização do Instituto.

Outrossim, deve também, registrar na sua contabilidade, de forma discriminada, os valores
aplicados em gratuidade, bem como o valor correspondente à isenção das contribuições
previdenciárias a que fizer jus.

· Pis sobre folha: A contribuição para o PIS das será determinada na base de 1% sobre a folha
de salários do mês.

As legislações, documentos e obrigações citadas acima, já são necessários para nos convencer
sobre a importância de se legalizar nossas igrejas, abrindo-as juridicamente nos respectivos órgãos,
como também manter registros contábeis, que nos permitam atender todas as obrigações exigidas por lei
para seu funcionamento.
Artigo enviado por
Comentários

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

TOP ENVIO DE Artigos

Consulta de NFes direto da Sefaz Com download automático de XMLs de NFes e NFSes, DANFes e mais

20% de desconto nos primeiros 6 meses! Descontos especiais para escritórios contábeis.

conheça mais

Facebook


Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.08 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César