x

ARTIGO DE TECNOLOGIA

Quando o app é de graça, o produto é você

Especialista alerta sobre a prática de aceitar termos de uso sem ler e a segurança dos seus dados.

26/02/2024 15:15:02

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
Quando o app é de graça, o produto é você

Quando o app é de graça, o produto é você Foto: Tima Miroshnichenko/Pexels

Esse é quase um mantra que usamos quando falamos em segurança da informação.

Toda vez que você usar um produto ou serviço, especialmente os digitais, os seus dados pessoais são o produto que será vendido ou compartilhado com os parceiros comerciais daquela empresa.

Nesta última semana estourou mais um escândalo de venda de banco de dados pessoais.

Desta vez foi a Avasti, conhecido provedor de antivírus “gratuito” muito usado no Brasil e no mundo.

Segundo apurações da Comissão Federal de Comércio (FTC), que seria o equivalente ao nosso Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Avasti coletava dados dos clientes por meio do software antivírus e os vendia para empresas de publicidade.

Foram apuradas vendas para mais de 100 empresas de publicidade.

A venda de dados pessoais viola diretamente a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) , tanto que a primeira multa que foi aplicada pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) à uma Microempreendedora Individual (MEI) , foi justamente por essa prática, escrevemos um artigo a esse respeito, clique aqui para ler o artigo.

Em resposta às acusações, a Avasti informou que encerrou suas atividades voluntariamente em 2020, como se isso a eximisse de responder pelas violações e danos causados aos usuários do mundo inteiro.

Este artigo serve de alerta, toda vez que você usar um app ou programa gratuitamente, seus dados serão o produto e sua segurança e privacidade estarão em risco.

Se não pode pagar, não use, essa é forma mais fácil de não ter seus dados vendidos ou compartilhados indevidamente.

Sabemos que ler políticas de privacidade e termos de uso é chato, mas é necessário.

Se você lesse esses documentos não colocaria sua segurança em risco.

Para ilustrar esse tema tão importante, recomendo fortemente que assista um episódio da série Mirror, disponível na Netflix, chamado “Joana é horrível” ou no original “Joan is awful”. O episódio retrata que, por não ler os termos de uso de um app, Joana tem sua vida transformada em um reality show sem seu conhecimento e sem possibilidade de cancelamento.

E se isso acontecesse com você, porque você aperta o botão “aceito” em qualquer banner que aparece na sua tela, sem nem saber o que aceitou?

Com certeza você já fez isso. Vale a reflexão.

A segurança dos nossos dados depende de nós e de nossas atitudes, mas principalmente depende de nosso conhecimento sobre o tema.

Em um mundo cada vez mais virtual, conhecer mais profundamente sobre o tema é a diferença entre ter ou não seus dados e sua privacidade protegidos.

Leia mais sobre

O artigo enviado pelo autor, devidamente assinado, não reflete, necessariamente, a opinião institucional do Portal Contábeis.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.