x

Oportunidade

10 dicas para montar um negócio de contabilidade de sucesso

As grandes transformações em curso na área da contabilidade estão afetando a forma como o empreendedor contábil começa seu negócio. Um misto de clientes mais digitais e complexas exigências governamentais estão apontando a nova direção desse mercado.

26/03/2021 09:05:01

6,6 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

10 dicas para montar um negócio de contabilidade de sucesso

O comportamento do cliente de contabilidade está mudando. Há os que optam pela contabilidade online, outros que dão preferência por terem a consultoria de seus contadores para melhorar seus negócios. Consequentemente, o comportamento do contador não pode ser mais o mesmo. E esse é um dos fatores mais estratégicos para quem quer montar uma empresa de contabilidade de sucesso. Entender o que os clientes buscam.

A realidade tanto para os recém-formados quanto para contadores que já têm tempo de carreira é: todos estão recomeçando na contabilidade. Grandes transformações na contabilidade estão em curso. 

O processo de obrigações legais já vem se transformando ao longo dos últimos anos. O projeto SPED, como um todo, de notas fiscais eletrônicas, auditorias eletrônicas, declarações. Todo esse cruzamento de dados colocou um volume de atividades — que já era pesado — ainda maior sobre as empresas contábeis.

Logo, o empreendedor contábil é arrastado por duas forças. Uma delas a complexidade de exigências do governo e a outra, a complexidade do mercado consumidor. O cliente está cada vez mais digital. Essa é uma mudança gradativa, mas que está sendo acelerada, especialmente depois da crise que vivemos.

Existem clientes que ainda preferem o papel, mas muitos já querem algo mais digital e, por consequência, mais barato ou buscam um contato mais consultivo com seu contador. Conhecer esses 10 pontos estratégicos para ter um negócio de sucesso, ajudam a caminhada empreendedora.

1- Não é preciso ser bom para começar, mas é preciso começar para ser bom

Mudanças podem paralisar algumas pessoas, porque é muito mais fácil trilhar um caminho conhecido, algo que já foi traçado antes. Porém, quando se fala no empreendedorismo contábil, não é preciso ser bom para começar. Mas é preciso começar para ser bom. 

E não é necessário saber tudo para começar. É importante chegar a uma reunião e saber conversar sobre a parte tributária, trabalhista, contábil, fiscal e societária. Para atender, basta subcontratar alguém para prestar o serviço. Com o tempo e a empresa crescendo, funcionários definitivos chegarão.

Deve-se levar em consideração que a maioria dos contadores estão nivelados em função de todas as mudanças tecnológicas e por isso é necessário pensar estrategicamente.

2- O momento ideal para começar seu negócio de contabilidade

Não existe momento ideal para começar alguma coisa. Tem gente que espera ficar bom em algo para começar. E isso atinge desde tomar o passo de produzir vídeos nas redes sociais sobre contabilidade quanto abrir, de fato, uma empresa. E esperar ficar bom para começar é a raiz do problema. 

Apenas quando se começa algo é que as variáveis surgem e solucionando uma a uma, o aprendizado vem. Surgem os testes e os desafios. É como dirigir em uma nova estrada e tudo o que se pode ver são os próximos vinte metros. 

3- Perfeccionismo é uma prisão sem grades 

Se existe uma boa hora para começar, essa hora é agora. E a perfeição não existe. Muitos contadores ficam parados nesse obstáculo do perfeccionismo. E esse ponto paralisa, porque, muitas vezes, ele é um disfarce para o medo, para a insegurança em relação ao novo.

Então, há muitos profissionais que começaram no ramo contábil sem dinheiro, sem experiência, sem conhecimento e hoje são grandes empresários. E isso não é simplesmente se lançar sem preparo, mas se preparar o quanto for possível e não se deixar prender pela expectativa de ser perfeito antes de começar. Perfeccionismo é uma prisão sem grades.

4- A decisão de ser empreendedor

“Quero empreender na contabilidade? ”. É a pergunta que um contador deve se fazer. Empreendedor é uma tribo diferente que está sempre falando de negócios, inovação, coisas para resolver, problemas e que se divertem aprendendo. 

Pode parecer estranho para quem não tem essa veia, mas o empreendedor se diverte com a aventura, gosta da energia da competição e é uma das classes profissionais que mais trabalha. 

5- O empreendedor nunca perde. Ou ele ganha ou ele aprende.

Outra crendice de muitos que querem empreender é que “nunca mais irão trabalhar para  ninguém” estão muito enganados. O empreendedor de contabilidade tem o pior patrão do mundo: o cliente. Ele não faz esse papel do ponto de vista legal, mas se não estiver feliz e para de comprar e assim, a sua ação demite a empresa prestadora do serviço.Então, uma frase explica bem o que é empreender:

“Empreender é arriscar o próprio dinheiro e o próprio tempo para resolver problemas dos outros e tentar ter lucro com isso.”

Portanto, essa é uma forma muito diferente de jogar em comparação ao funcionário CLT de um escritório de contabilidade ou prestador de serviços em uma só empresa. É necessário desenvolver uma outra mentalidade e ela tem tudo a ver sobre aprender na prática. 

O empreendedor é alguém que trabalha com riscos calculados e se lança na aventura de gerir o próprio negócio. É altamente recomendável que ele se prepare lendo livros, estudando a ação tanto de empreendedorismo quanto de contabilidade.

Porém, é no campo de batalha, no aprender e fazer, que o empreendedor contábil vai se lapidando. E nada é perdido: se acertar, ganha, lucro. Se errar, também ganha em aprendizado e experiência.

6- A arte de cobrar o preço justo pelo serviço

É normal que numa negociação quem paga busque sempre receber o máximo pelo menor custo possível. Essa é a lógica de quem está comprando e cabe ao empreendedor contábil entregar valor no mesmo nível que o cliente está pagando.

A precificação deve levar vários fatores em conta. Qual tipo de contabilidade quer entregar a um cliente? Num exemplo: se existe o carro com vidro elétrico e câmbio automático, também existe com câmbio manual e sem airbag. Se não fosse assim, seriam vendidas somente versões premium e não uma para cada bolso. 

Por isso, é preciso pensar quanto a contabilidade vai agregar e, a partir disso, formar preço. O que a maioria da concorrência faz é “contabilidade em geral” e cada vez mais os preços estão sendo empurrados para baixo. O cuidado é de que entregando tudo no menor custo, a empresa pode quebrar.

7- Cuidar bem da carreira da equipe da empresa contábil

No caminho do crescimento, o empreendedor precisa formar equipes para atender mais demandas dentro da empresa de contabilidade e em algum momento vai se deparar com questões de motivação e liderança. A nova geração de clientes presente no mercado, pede uma força de trabalho diferenciada e o perfil dessas equipes da empresa também tem mudado. Hoje, quando se tem um time mais jovem, é preciso envolver, motivar e, se eles não se divertirem nessa jornada, pulam rapidamente para outra oportunidade. 

Não é incomum ver profissionais que trocam de empresa, duas, três vezes no ano. Então, vale rever os atrativos para reter essa mão de obra. Além de trabalhar motivação, criar uma equipe resolvedora de problemas para ter uma empresa autogerenciável.

8- As vantagens de ser um empreendedor contábil

Um contador habilitado é aquele formado em uma faculdade de ciências contábeis aprovado no exame de suficiência para ter habilitação legal. A profissão de contador é regulamentada e para exercer, é preciso seguir essa regra.

Esse ponto já carrega uma vantagem, a reserva de mercado. Existem tarefas definidas por lei que somente um contador pode fazer. Diferente de um administrador, se comparar as duas carreiras.

As leis federais falam que toda pessoa jurídica precisa ter contabilidade regular, com exceção dos microempreendedores individuais. Todo restante das empresas tem que ter escrituração contábil. 

E ao longo dos anos, os profissionais de contabilidade começaram a fazer funções que não eram de contador. Quando se fala em constituição, alteração ou extinção de uma empresa, isso não é atividade contábil, mas sim, jurídica. 

Quando se fala em apuração, folha de pagamento, controle de alvarás, certidões, isso também não faz parte da atuação do contador. O  empresário aproveitou a necessidade de contratação de um contador para compartilhar essas outras tarefas em que não tinha um funcionário dedicado.

A essência do trabalho do contador é a produção das demonstrações contábeis. Todo o restante são serviços de conformidade que, ao longo do tempo, foram assumidos pelas empresas contábeis. 

Para o empreendedor mais atento, cuidar dessas atividades para as empresas, deram vida a chamada contabilidade consultiva que presta um serviço diferenciado e, portanto, com alto valor agregado.

9- Iniciando na contabilidade como pessoa física

Exercer a função de contador como pessoa física é uma questão recorrente na mente desses profissionais. O ponto de atenção fica por conta dos aspectos tributários. Se o contador receber como pessoa física, todos os seus recebimentos virão nesse regime de tributação e como pessoa jurídica, pode pagar menos imposto. Isso deve ser analisado em cada caso. Todavia também dos aspectos de marketing. 

Ter um CNPJ e também trabalhar o marketing, desenvolver logo e outros quesitos de marketing, contribuem para trazer mais clientes por passar um grau de profissionalismo maior do que quem opta atuar como pessoa física.

Para início, pode ser interessante começar como pessoa física e com o passar do tempo construir um negócio contábil maior. E vale destacar que o negócio contábil não se enquadra no MEI. Muitos negócios falham em sua classificação de se manter como MEI, com CNAE de empresa contábil, uma vez que ele não foi feito para isso. 

10- As melhores ferramentas para montar seu negócio contábil

Considerando o contexto de uma empresa contábil iniciante, em que o contador tem que dar conta de praticamente tudo sozinho, aqui segue uma série de ferramentas com um bom custo benefício, que ajudam muito a facilitar o dia a dia. 

  • Sistema de e-mail e pacote de produtividade

É bastante simples e rápido abrir um e-mail gratuito, alguma coisa como “suacontabilidade@gmail.com”, porém esse tipo de recurso não passa o grau de profissionalismo que um contador precisa. Uma dica é contratar um pacote de produtividade no Google, esse serviço é o Google Workspace (antigo G-Suite).

Além do e-mail, o Google Workspace vem com um pacote poderoso de funcionalidades indispensáveis, como o Google Drive para salvar e compartilhar arquivos em drives compartilhados ou o Google Agenda para não perder nenhum compromisso e o Google Tarefas para organizar o dia a dia.

Essas ferramentas ainda têm duas vantagens adicionais: evitam o recebimento de documentos físicos dos clientes, fugir do excesso de papel e resolver tudo de forma digital, além de acessar de qualquer lugar pelo celular ou computador. 

Um negócio contábil próspero e seguro tem sistemas contábeis em nuvem. A proposta é ter acesso em qualquer lugar, bastando ter celular ou computador. São sistemas que ainda estão evoluindo em questões de rotinas de contabilidade como programações para empresas com folhas de pagamento mais complexas ou com muitos centros de custos.

Esse sistema em nuvem contribui diretamente para novos formatos de trabalho de contabilidade, como home office, em que se tem toda a equipe atuando em casa, inclusive rompendo barreiras geográficas. Esse segundo ponto funciona quando se tem no time um profissional que não necessariamente está no mesmo bairro, cidade quiçá país, mas presta serviço para a empresa de contabilidade.

  • Sistema de gestão de tarefas
    O empreendedor contábil precisa de um bom controle de tarefas porque quando o cliente precisar de algo importante, esquecer não é uma opção. Quando esse fluxo é bem realizado, tudo flui e o reconhecimento do trabalho é a indicação para novos clientes. Existem algumas boas ferramentas no mercado, mas uma simples de usar e que carrega recursos poderosos é a Asana. Ela funciona na nuvem e todos os membros da equipe acessam em tempo real. Quando a empresa estiver maior, com equipe, é recomendado utilizar um sistema de gestão de processos específico para empresas contábeis, como é o caso do G-Click.

O poder do marketing na contabilidade

O contador mais atento às mudanças já percebeu que nem só de controles vive o negócio contábil. Investir tempo e energia na imagem da empresa faz toda diferença na hora de conquistar clientes. Um conhecimento mínimo de estratégias de marketing e vendas irão ajudar.

E quando o assunto é digitalização, surge a questão “preciso ter um site na internet?”
Sim, isso é bastante recomendável. Basta associar que todos correm para pesquisar no google qualquer nova empresa e é importante estar lá, principalmente para receber quem  chega por indicação de amigos e familiares. 

Mas vale ressaltar que a presença digital é importante, mas nada substitui o contato de pessoa para pessoa. O serviço contábil é a personalíssimo por excelência e quando o cliente quer falar ele busca pelo “João, seu contador” e não a empresa contábil XYZ.

Em resumo, o empreendedor contábil precisa pensar em uma estratégia macro para dar visibilidade ao negócio e pode terceirizar a execução dessa tarefa para empresas, como o grupo DPG, por exemplo, especializado em divulgar serviços de empresas contábeis.

A cartada final: fortalecer os músculos de empreendedor

O empreendedorismo é um músculo. Quanto mais exercitar, mais forte fica. Quem ganha o jogo é quem executa e não aquele que ideias.

Trabalhando bem, esse momento da musculatura forte vai chegar, as vendas fluirão de forma quase automática, mas vale ter um passo a passo no início.

E esse passo a passo é simples, se chama PFCC: Programa de Formação Contador Consultor. É um treinamento avançado de vendas e diferenciação para aqueles que querem crescer na contabilidade.  O empreendedor contábil precisa saber vender e gerar receita para realizar todo o plano: site, equipe, sistemas. Aquele que se prepara, sai na frente. Bora afiar esse machado, contador!

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.