x
2020-08-19T08:59:37-03:00

FÓRUM CONTÁBEIS

DEPARTAMENTO PESSOAL E RH

respostas 3

acessos 84

GRRF Paga em duplicidade

há 9 semanas Quarta-Feira | 19 agosto 2020 | 08:59

Pessoal, bom dia !

Temos um cliente que pagou a GRRF, em duplicidade, o 1º pagamento no dia 30/07/2020  e o 2º no dia 03/08/2020 o primeiro já caiu na conta do trabalhado e ja foi sacado, o segundo ainda não caiu. Minha pergunta é da para pedir a devolução deste valor, não achei nem esclarecimento a este respeito, apenas sobre o FGTS, ou tem que esperar cair na conta do trabalhado e só ele vai poder sacar. Da para fazer RDT para pedir devolução?.  Este valor vai cair na conta do trabalhador mesmo ou vai ficar retido em algum lugar pois já faz bastante tempo que foi pago e até agora não caiu.

Por favor se alguém já passou por está situação e pode me ajudar agradeço !

há 9 semanas Quarta-Feira | 19 agosto 2020 | 09:07

Bom Dia , Aparecido ! 

 Tem sim , entra com o certificado da empresa e não do procurador no ICP , ai vai na parte empregador , onde tem todas opções de solicitar extrato para fins rescisórios etc . Na hora de selecionar o serviço desejado , seleciona Solicitar Devolução de Valores do FGTS , ai vai preenchendo os campos quando chegar em tipo de Guia coloca Rescisório GRRF . Porém não gera a chave para o colaborador sacar , porque se ele sacar você não consegue a devolução .
Não precisa fazer RDT porque não tem dados divergentes apenas solicitar a devolução . Pega a guia que ele pagou a mais e vai preenchendo os dados .
No campo motivo da devolução coloca Pagamento em Duplicidade a data do pagamento incorreto e competência . 


há 9 semanas Quarta-Feira | 19 agosto 2020 | 15:35

Sergio Rodrigues, boa tarde!

Infelizmente está opção foi desativada em 2019, não é mais possível fazer por lá, porém na mensagem do site ele da o endereço da guai de RDF, e as instruções de como fazer.

Muito obrigado pela ajuda.

RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.