x

FÓRUM CONTÁBEIS

DEPARTAMENTO PESSOAL E RH

respostas 2

acessos 716

Calculo de Proventos

Caducel Master

Iniciante DIVISÃO 4, Contador(a)
há 8 anos Segunda-Feira | 31 janeiro 2011 | 15:18

Boa Tarde,

Sou novo no forum, mas ja resolvi muitas dúvidas que tinha, com a ajuda de vocês, porém é meu primeiro post, e gostaria de saber a forma mais correta para fazer o seguinte calculo.

Tenho um cliente e que me fez a seguinte indagação:

Tenho um funcionário de dez anos de serviço
Nunca foi pago férias e nem abono
Nunca foi pago 13º salário
Nunca foi pago FGTS

Quanto teria que pagar para este colaborador para regularizar estas pendencias?

Consultor Especial

Kennya Eduardo

Consultor Especial , Não Informado
há 8 anos Quarta-Feira | 2 fevereiro 2011 | 00:59

Amigo Caducel, as férias deverão ser pagas tendo como base o valor da remuneração atual, o 13º ídem. O recolhimento do FGTS deverá ser atualizado com a multa e os juros, de acordo com o preconizado pela Caixa.

A melhor maneira de regularizar é:
A) Emitir os recibos das férias de cada período com a remuneração em dobro para todas as que não foram concedidas dentro de seus períodos aquisitivos.
B) Emitir os recibos do 13º de cada período.
C) Através da SEFIP proceder a atualização dos valores e fazer o recolhimento.

É melhor fazer isso (com multas e juros) do que enfrentar tremendos problemas que o funcionário descontente poderá ocasionar que, lhe garanto, poderá levar ao encerramento de sua empresa, por exemplo, dentro outros prejuízos (inclusive pessoais) irrecuperáveis!

Espero ter ajudado.

Caducel Master

Iniciante DIVISÃO 4, Contador(a)
há 8 anos Quarta-Feira | 2 fevereiro 2011 | 18:45

Kennya Eduardo

Muito obrigado pela atenção e por me responder.

vou começar a mexer neste caso amanha pela tarde, e qualquer dúvida volto a recorrer com vcs!

Por enquanto muito obrigado

RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.