2015-12-02T00:34:04-02:00
x

FÓRUM CONTÁBEIS

DEPARTAMENTO PESSOAL E RH

respostas 405

acessos 140.860

Seguro Desemprego Bloqueado - Sócio de empresa inativa.

há 3 anos Terça-Feira | 19 janeiro 2016 | 22:34

Boa Noite, temos um cliente com o mesmo problema, Sem movimentação, sem pro-labore e pedido de seguro desemprego indeferido.

Fizemos uma alteração contratual retirando a sócia, vamos ver se ela vai conseguir o seguro com o recurso.

infelizmente estamos nas mãos de pessoas desqualificadas e treinadas a recusar recursos de direiro a quem precisa, assim, ajudando esse governo corrupto, uma vergonha!


há 3 anos Quinta-Feira | 21 janeiro 2016 | 12:42

Olá!

Primeiramente agradeço ao tópico/depoimentos.

Também tenho uma empresa inativa desde 2004, com todas as declarações entregues á RF (providenciei inclusive, a entrega da data base de 2015). Esta empresa está com a inscrição municipal 'encerrada' na Prefeitura de Santos desde outubro 2014, nunca houve inscrição estadual, logo não há nem talão de notas, nem rendimentos, NADA! Apenas um CNPJ inativo!

Não consegui agendamento para entrar com o recurso no MT de Santos, no atendimento 158 informaram que no estado de São Paulo está complicado e consegui um agendamento para Ribeirão Preto. São mais de 4 horas de viagem para obter um atendimento e agora não sei mais se valerá, diante a tantos impedimentos criados pelo sistema.

Se eu encerrar na junta comercial posso ser fraudulenta e se permanecer aberta o benefício não será concedido, porque meu CPF está vinculado ao CNPJ de uma empresa (INATIVA).

Esse país é uma piada!

Sinto-me humilhada e revoltada!!

há 3 anos Quinta-Feira | 21 janeiro 2016 | 16:59

Prezados
Estou na mesma situação que vcs... me solidarizo!!! rs
Resumindo... Fui dar entrada no seguro, dia 17 de novembro, no entanto, não consegui. Fui orientada a retornar com a Declaração de Inatividade. Consegui dar entrada (depois da terceira tentativa) no dia 04 de dezembro. Mesmo assim, disseram-me que deveria aguardar entre 45 a 90 dias o resultado da análise! Ressalto que entreguei todas as declarações de inatividade que me foram entregues pelo contador, inclusive aquela referente a 2015. Agora, só me resta aguardar um posicionamento do MTE.
Aproveito para informar que como cidadã, me senti totalmente desprotegida e sem informações precisas.Ressalto o precário atendimento no MTE, no que concerne as respostas as nossas dúvidas, pois em um primeiro momento disseram-me, simplesmente, que eu era empresária que deveria escolher entre "chupar cana ou assobiar", literalmente! Preferi não pensar muito no significado desta metáfora e comecei a buscar respostas... e as obtive mais clara e objetivamente neste fórum!!!!
Agradeço as postagens e fico aguardando o desenrolar... Resido na cidade do Rio de Janeiro.
Abs em todos,
Silvia

há 3 anos Quinta-Feira | 21 janeiro 2016 | 20:22

Olá, pessoal sou de Maringá e estou passando pelo mesmo martírio de todos vcs. Hoje fui ao Ministério do trabalho, com as declarações de inatividade 2015, crente que tudo seria resolvido, mas lá fui informada que que dia 30/12 haviam novamente mudado a portaria, me mostrou o documento, onde lá dizia que não podemos declarar inatividade de uma empresa que está aberta e inativa, ou seja, não podemos apresentar um documento válido, que a própria Receita Federal emite. Estamos no escuro, pois os próprios atendentes estão fartos dessa situação sem solução. Dia 02/02 tenho outro recurso, pois hj fui somente para me informar que estaria tudo certo. Estou nessa luta desde novembro/2015.

há 3 anos Sexta-Feira | 22 janeiro 2016 | 17:57

E no caso de a empresa ser do Simples Nacional e não ser possível a Declaração de Inatividade?
Será a DEFIS?

"As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam." 1 Coríntios 2:9
há 3 anos Sexta-Feira | 22 janeiro 2016 | 22:48

estou desesperado assustado com tudo que li aqui pois ja fiz todo processo e estou vendo pelos relatos que vai se negado tenho filho casa alugada e ja comecei a vende as coisa de casa para paga aluguel comida minha vida acabou fala vai procura emprego e fácil dificuldade e acha

há 3 anos Sábado | 23 janeiro 2016 | 20:47

Sergio infelizmente eh isso que esta acontecendo.

Detalhe tenho 4 cliente no escritorio que abriu processo a 5 meses e ate agora nada. So pedem pra aguardar e cada dia que passa pede mais documentos.

Eles querem acabar com a farra do seguro desemprego. So que esquecem que pessoas honestas tambem usam deste beneficio.

Thiago Moraes
Ribeirão Preto-SP

"Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente. Quem sobrevive é o mais disposto à mudança"
há 3 anos Sábado | 23 janeiro 2016 | 23:19

Destarte a indignação de todos a qual me solidarizo, mas o fato é que estamos vivendo uma verdadeira inquisição, onde tanto o MTE e o INSS estão legislando a bel prazer em detrimento do contribuinte que paga em dia seus impostos e se ve alijado do seu direito constitucional e nada acontece, aqui em Araçatuba, estou com dois clientes que foram obrigados a escutar de um funcionario do Inss os seguintes disparates " Reconheçe-se a incapacidade laborativa, porem não é dado o auxilio doença porque no periodo em que os funcionarios estavam em greve,v.sas. não solicitou o beneficio, o fazendo somente apos, quando ja se encontrava sadio e apto para o trabalho" ai o outro ouviu a seguinte argumentação " não consta no seu CNIS o seu ultimo emprego de 03 anos porque o empresario é MEI e seu esposo, e segundo a Lei o marido não pode mandar na mulher ". Bom depois desses absurdos juridicos onde o Codigo Civil e todo o arcabouço juridico foi mandado para o espaço não se sabe mais o que fazer. Para se recorrer na Justiça Federal necessita-se de um advogado, não e barato, onera o contribuinte e nem sempre sabe-se o que o Juiz irá decidir, pois cabeça de juiz e bunda de nene, sabe-se lá o que sai. E o pior de tudo é que ainda a figura que lá esta sentada disse " o seu contador te orientou mal, mulher não pode ser empregada do marido " ai foi de arrepiar, mandou o artigo 3° da CLT para o espaço junto. Portanto prezados, de pronto na segunda feira irei até a agencia do Inss com o Código Civil, A LC das MEs/EPP/MEI e perguntarei ao distinto que Lei que diz que o marido pessoa fisica, e empreendedor pessoa juridica não pode contratar a esposa como sua funcionaria.

Antonio de Campos
Tc/Sp
há 3 anos Segunda-Feira | 25 janeiro 2016 | 15:23

Olá, Pessoal!
Também estou indignada com toda esta situação. Estou com o mesmo problema da maioria de vocês. Dei entrada com o recurso no MTE hoje. Já sei a resposta que terei, mas quero fazer todo o possível pois é um direito do trabalhador. Trabalhei por mais de 15 anos numa mesma empresa, paguei todos os impostos que me foram estabelecidos. Independente de ter empresa ou não, mesmo que esta empresa estivesse ativa, emitindo alguma nota, eu trabalhei e paguei tudo certinho, pra ter o beneficio do seguro desemprego... É lamentável toda esta situação... Já não basta estar desempregada e ainda agora, correndo atrás de um beneficio que era deveria ser obrigatório -e deveriam avaliar somente se trabalhou por todo o período necessário para recebe-lo.
Enfim, estou à disposição, caso alguém precise de mais alguém na lista pra um protesto, reportagens e etc. Estou com vcs na luta contra esta atitude que prejudica milhões de pessoas que trabalharam honestamente...

Att,

há 3 anos Terça-Feira | 26 janeiro 2016 | 14:18

Confesso que ler todos esses relatos me deixou mais triste ainda. Sou sócia de uma holding familiar, nunca recebi qualquer pro labore ou lucro, e meu seguro foi recusado. Já agendei o recurso no MTE, e estava confiante...mas como confiar que eles irão analisar meu caso quando vemos que pessoas que estão com tudo certo são tratadas dessa maneira

Priscila
há 3 anos Quarta-Feira | 27 janeiro 2016 | 10:09

Passei pela mesma situação. Entrei com recurso em novembro, com toda a documentação que me foi exigida. Me deram de 60-150 dias para uma resposta pelo site do MTE. Verifiquei nesta semana no site e meu recurso foi indeferido. Dizem apenas isso, e que tenho que devolver as 3 parcelas que já recebi. Não dizem o motivo do indeferimento e nem nada. Liguei no posto do MTE da minha cidade para buscar maiores informações e procurar saber se posso entrar com um novo recurso. A pessoa responsável por oferecer explicações nesta área é totalmente sem vontade nenhuma de oferecer informações e desde a primeira vez que fiz contato colocou milhões de dificuldades para o meu caso sempre sendo negativa dizendo que não tem solução para quem tem empresa aberta, mesmo que inativa, enfim, pelo que andei lendo de outros depoimentos, todos devem ser treinados para isto.
Agendei outra data para um novo recurso, mas só havia data disponível para março.
Gostaria de informar a vocês que encontrei uma página da ouvidoria do MTE, no próprio site deles e enviei ontem o meu caso. Primeiro para falar a respeito da funcionária deles que atende muito mal as pessoas, super despreparada e sem vontade. E segundo para saber como fica o caso das parcelas que estou sendo obrigada a devolver enquanto espero o dia do meu atendimento, afinal não tem nada que permita eles de terem a informação de que eu estou indo atrás do caso (no agendamento por telefone me pediram apenas o meu nome e meu telefone), pode simplesmente parecer que não estou devolvendo porque não quero.

Talvez se todo mundo colocasse no site da ouvidoria o problema, conseguíssemos mais alguma coisa com relação ao nosso direito.

No jornal hoje desta semana saiu uma matéria a respeito do caso, não foi muito explicativa, apenas denunciou casos de pessoas com o mesmo problema. Talvez se alguém tiver contato ou algum meio de divulgar na TV, acredito ser o melhor método de conseguir que o Governo nos dê atenção.

há 3 anos Quarta-Feira | 27 janeiro 2016 | 10:23

Olá Companheiros, bom dia!

Muito elucidativas as reportagens, Gustavo! Obrigada. No entanto, infelizmente, fiquei um tanto desesperançosa. Muito embora haja um posicionamento claro quanto a ilegalidade do que vem sendo colocado pelo MTE, por parte de representantes da OAB de alguns estados. Agora, fico sem saber como proceder... entrei com recurso que tem prazo de 45 a 90 dias para resposta, ou seja, terei de esperar até abril!! Até lá, espero já estar empregada!! Muito séria essa situação. A impressão que eu tenho é que eles querem ganhar pelo cansaço e desistência.
Gostaria de saber se alguém deste fórum já tem um posicionamento definitivo... ou, como vocês estão procedendo? E se podemos entrar com recurso por várias vezes.

Muito obrigada e um dia proveitoso a todos.

há 3 anos Quarta-Feira | 27 janeiro 2016 | 11:21

Bom dia meus amigos!

Essa situação é uma vergonha, estão fazendo o povo brasileiro de idiotas!!!

O MTE está distorcendo a legislação do seguro desemprego, e não é só o fato de empresas inativas, existem também casos de sócios quotistas, essas orientações pelo MTE nas reportagens é totalmente sem fundamento, ninguém precisa ir até a PREVIDÊNCIA ou até a mesmo no MTE, a declaração de INATIVA, ou contrato social comprovando ser sócio quotista é a prova clara da situação.

Precisamos de uma uma reportagem onde tenha uma pessoa para questionar esse argumentos totalmente sem fundamento.

ISSO É UMA VERGONHA!!! PRECISAMOS FAZER ALGO URGENTE!!!

Estou a disposição.

há 3 anos Quarta-Feira | 27 janeiro 2016 | 18:57




Prezados boa noite,

Por tratar-se de um direito liquido e certo sugiro que entrem em contato um advogado e vejam a possibilidade de entrar com MS. :


O Mandado de Segurança é uma classe de ação judicial que visa resguardar Direito líquido e certo, não sendo amparado por um Habeas Corpus ou por um Habeas Data, que seja negado, ou mesmo ameaçado, por autoridade pública ou no exercício de atribuições do poder público.

Trata-se de um remédio constitucional, de natureza mandamental, rito sumário e especial. Para liberar documento bloqueado por autoridade pública ou órgão público.

A Lei Federal brasileira nº 12.016, de 07 de Agosto de 2009, no seu art. 1.º determina que "Conceder-se-á mandado de segurança para proteger direito líquido e certo, não amparado por habeas corpus ou habeas data, sempre que, ilegalmente ou com abuso de poder, qualquer pessoa física ou jurídica sofrer violação ou houver justo receio de sofrê-la por parte de autoridade, seja de que categoria for e sejam quais forem as funções que exerça".

A locução “mandado de segurança” apresenta o que se chama ambiguidade processso-produto. Mandado de segurança designa o processo judicial pelo qual se pleiteia a expedição de uma ordem, um mandado, à autoridade impetrada para que faça ou não faça alguma coisa. Pode significar também o ato judicial produto da atividade processual, o próprio mandado.

há 3 anos Quinta-Feira | 28 janeiro 2016 | 15:18

Boa Tarde,

Acabei de ler o post e me cadastrar.
Estou passando pelo mesmo problema de bloqueio de seguro desemprego por ter o CPF vinculado a CNPJ inativado.
Entrei com recurso no MT em 10 de Dezembro (inclusive tive que ir até Cotia, pois em SP nao tinha data até maio).

entrei os documentos, tirei xerox da carteira de trabalho e, como aconteceu com o Games, me disseram que a resposta sairia em 3 a 5 meses (achei um absurdo).

Desde então ligo no MT (158) a cada dois dias para saber a resposta e sempre me falaam que esta em análise.

Lendo os post de vcs fiquei com medo do meu ser indeferido tambem.

Gostaria de me colocar a disposicao para qualquer recurso que forem fazer. Acredito que tem que ser algo mais contindente. Me incluam em todas as coisaisso é um absurdo e eles não podem ficar enrolando tanta gente.

Desculpem o desabafo, mas acho que fiquei um pouco apavorado quando vi tantos pedidos indeferidos de pessoas com o mesmo problema que o meu

Obrigada

há 3 anos Quinta-Feira | 28 janeiro 2016 | 21:37

Boa Noite

Estou com mesmo problema , em 2001 eu precisava ter uma empresa para dar aula a empresa ao invés de registrar obrigou a abrir uma empresa, assinei documentos para ser sócio de uma empresa de uma professora que lá existia, não dei uma aula sequer, e para minha surpresa sou sócio, a empresa já esta baixada, inativa a anos, não existe nenhum,a movimentação nos últimos dez anos e meu seguro foi bloqueado, acreditem, já entrei com recurso e o funcionário do MTE disse , esqueça meu amigo , ninguém esta conseguindo.
Em conversa com um funcionário do MTE ele desabafou, o Brasil está quebrado, eles sabem que estão errados e o que está acontecendo é desonesto, mas as ordens vieram de cima de muito de cima, pois não tem dinheiro para pagar o seguro desemprego e que se pagar todos os seguros poderá faltar dinheiro para as bolsas sociais.
Estou revoltado, indiguinado e o pior o que fazer , a quem recorrer, desde 1987 trabalhando sem nunca precisar do seguro e agora que preciso , NADA, estou com vergonha de ser Brasileiro, não tem ninguém para nos ajudar, a OAB fala na reportagem que é ilegal e fez o que ? Nada.
Vamos nos juntar fechar rodovias para sermos vistos, será o jeito, temos que fazer algo .
Estou muito p da vida.
Tanta impunidade no judiciário , no congresso, no Planalto descobrem tudo e não dá em nada. Isso nos deixa depressivos revoltados.
Nem sei mais o que dizer

há 3 anos Sexta-Feira | 29 janeiro 2016 | 11:16

Olá pessoal, bom dia!
Como autor do tópico e desde minha última publicação estou devendo uma resposta aos senhores (a).

Antes irie sintetizar minha situação:

Fiz o recurso no dia 3 de dezembro, levei toda documentação necessária o servidor me deu entre 30 e 45 dias, já no dia 22 de dezembro o meu recurso fora indeferido, então no dia 11 de janeiro fui novamente ao MTE, uma servidora me atendeu e me informou que a causa do indeferimento foi a não entrega da declaração de inatividade de 2015, ano base 2016. Então ao retorna do MTE providenciei com o contador da empresa inativa que se situa no estado da Bahia (Sou de Pernambuco, cidade Petrolina, ao lado de Juazeiro-BA separadas apenas pelo Rio São Francisco, a empresa era em Juazeiro, atualmente moro em João Pessoa-PB). Consegui solicitar tudo por telefone, porém pra evitar implicância na apresentação das documentações fiz um agendamento na RFB e solicitei a declaração de inatividade "Oficial" e ainda com o carimbo da RFB e assinatura do servidor e então fui novamente ao MTE, lá fui atendido pelo mesmo servidor de 3 dezembro e ele ao analisar meu recurso indeferido me disse: "Olha, vamos fazer melhor, venha na próxima terça feira e eu agilizarei o seu processo, pois aqui não cabe mais recursos". Essa foi a última notícia que informei aos colega do fórum.

Como acordado fui na terça feira seguinte, ao chegar lá o servidor estava doente e se ausentou, então um outro servidor pediu para que eu comparecesse na quinta feira.

Quinta-feira 21 de dezembro, fui pela última vez no MTE. E tenho uma ótima noticia pra vocês! o meu recurso foi deferido!! Eles cancelaram a obrigação de restituir às 3 parcelas que já tinha recebido e liberaram a 4° parcela, inclusive já foi debitado na minha conta, até com uma pequena correção.

Bom pessoal, não sei se consegui apenas por restar uma parcela a receber, isso pode ter facilitado, mas o fato é que esse servidor cumpriu com o que disse, ele pegou minhas declarações e carteira de trabalho foi até uma sala e me pediu pra esperar um pouco, esperei 10 minutos uma moça entregou uns papeis a ele e o mesmo perguntou se restava apenas uma parcela a receber, então pediu o número do meu CPF fez algo no sistema, imprimiu 2 folhas e me disse: "Semana que vem seu dinheiro estará na sua conta, olha aqui a data" e consta no papel dia 26/01/2016 e realmente no dia 26 o dinheiro foi debitado.

Como falei, talvez por restar apenas uma parcela, eles tenham liberado, mas o fato é que os servidores do MTE tem toda competência para deferir o recurso, o problema são as ordens superiores.

OBS: O MTE ao qual tenho frequentado é me João Pessoa-PB.

Bom não tenho como mandar fotos do documentos por este fórum, qualquer coisa deixem algum meio de contato.

Abraço e boa sorte a todos!

há 3 anos Segunda-Feira | 1 fevereiro 2016 | 13:32

Boa tarde Gomes,

Poderia me informar todos os documentos que levou nesse último atendimento. Meu caso tbm já foi indeferido, porém agendei para novo recurso em Março e gostaria de estar com toda a documentação.

Bom saber que ainda há uma luz no fim do túnel.

há 3 anos Segunda-Feira | 1 fevereiro 2016 | 15:09

Companheiros do Fórum,

Infelizmente venho compartilhar uma péssima noticia!!!

Acabo de verificar pelo Site do MTE o status da minha solicitação do Seguro Desemprego e ao que parece o meu recurso já foi INDEFERIDO, ou seja mesmo após entregar os documento de comprovação de ENCERRAMENTO (Baixa) do CNPJ e TODAS as Declarações de Inatividade inclusive para o ano de 2015, o MTE não aceitou o meu recurso conforme já era previsto e declarado pela pessoa que me atendeu no posto no último dia 15/01/2016.

Na quarta-feira de manhã estarei comparecendo no Posto do MTE para verificar se o Recurso foi mesmo indeferido, apesar da informação já constar pelo site. Tentarei buscar maiores informações sobre o que devo fazer neste momento de Indeferimento do Recurso, o que também já sei afinal a Atendente da vez passada que compareci não somente me chamou de fraudador como ainda deixou claro que Eu deveria entrar como uma ação contra a União- o que é uma piada né, mas vou lá pra ouvir isso novamente e desta vez vou dar um jeito de filmar e depois jogar na rede.

Já não tenho nenhuma esperança de conseguir ter acesso a este Seguro, mas não vou perder a minha Cidadania e brigarei até quando puder para mostrar pra todo mundo o que esse Governo esta fazendo conosco.

Segue no link abaixo com a imagem que informa o INDEFERIMENTO do meu recurso, que a principio demoraria 60 dias, mas não precisaram nem de 15 para negar!!!!

https://uploaddeimagens.com.br/imagens/consulta_de_habilitacao_do_seguro-desemprego_2-jpg

há 3 anos Segunda-Feira | 1 fevereiro 2016 | 16:29

Prezados
Muito difícil esta situação! Ficamos sem entender os critérios... Fiquei esperançosa com o relato do Gomes, mas agora...
Lucas, eu entrei com o recurso, dia 04/01 e pouquíssimo tempo depois havia a mesma informação que você postou, no site do MTE. Achei estranho a rapidez e liguei pra o 158 e lá fui informada que meu recurso ainda estava em análise e que deveria aguardar o prazo que me foi solicitado inicialmente. Enfim, agora fiquei confusa!! Ressalto que também entreguei todos os documentos solicitados, inclusive a declaração de inatividade de 2015, entregue em 2016.
Pessoal do fórum, alguém tem alguma informação diferente, ou mesmo já finalizou essa situação vergonhosa??
Agradeço a atenção. Abaixo consta o texto que visualizei no site

Número do PIS-
Nome: SILVIA
Situação: Notificado por indeferimento de recurso
Tempo de Serviço: 13 meses
Motivo: Renda Própria - Sócio de Empresa. Data de Inclusão do Sócio: 26/11/2010, CNPJ: 13.102.679/0001-71.
Procedimento:

Prezado Sr(a).
Por gentileza procure um posto do SINE ou conveniado o qual fez o seu cadastro para ações de emprego e solicite seu histórico e em seguida dirija-se a um Posto do Ministério do Trabalho e Emprego com a seguinte documentação:

-Carteira de Trabalho;
-Formulário do Seguro-Desemprego (via marrom);
-Rescisão do Contrato de Trabalho;
-Histórico do trabalhador fornecido pelo SINE.

há 3 anos Segunda-Feira | 1 fevereiro 2016 | 21:52

Boa Noite caros Colegas!

Eu me encontro na mesma situação que todos, ou seja fui notificada por ser sócia de empresa e por isso "possuir renda", portanto deveria restituir as parcelas já recebidas. No momento levei um susto, porque para mim a tal empresa já estava fechada, já que nunca funcionou e eu entrei no quadro de sócios apenas para completar o quadro societário, ou seja, apenas 10%, já que o "dono da empresa" abriu a empresa apenas para ser contratado em uma empresa agropecuária , porém não deu certo e por isso nunca utilizou a mesma.
Porém, diante do ocorrido fui munida de todos os documentos requeridos, assim como as declarações simplificadas de inatividade do anos de 2010 até o dia 23/11/2015, data em que dei entrada no recurso. No momento que entreguei o atendente me disse que era uma situação nova e que eles estavam aguardando instruções de como proceder, porém acreditava que as declarações seriam o suficiente e que eu aguardasse um prazo de 30-60 dias para analisarem o recurso.
Durante todos os dias entrei no site da Habilitação do Seguro desemprego e lá já estava a informação, notificado por indeferimento de recurso. Então hoje, dia 01/02/2016, resolvi voltar no ministério do Trabalho, para saber como andava o meu recurso, pois estava incrédula das informações no site. Para minha surpresa, hoje que eles estavam julgando os recursos do dia 23.11.2015, e, portanto resolvi esperar para ele julgar ali o meu recurso, depois de esperar algum tempo e ainda na esperança de ser deferido, o Atendente me disse que por instruções de Brasília meu recurso foi indeferido conforme letra C, do item 12, da circular n° 71 de 30.12.2015, ou seja, eles foram instruídos a indeferir qualquer recurso que apresentasse as declarações de inatividade, já que era o próprio sócio que fazia as declarações e portanto não tinha como comprovar as informações e também me disse um tanto indignado, que no mesmo documento, não dizia qual o documento deveria ser apresentado para comprovar a inatividade da empresa. E disse mais, que eu teria que devolver o que eu já havia recebido. E até mesmo de seguros anteriores, que eu já tinha recebido, mas que a empresa já existia.
Me senti profundamente lesada, já que durante todo esse tempo peguei dinheiro emprestado para me manter, e agora o que eu faço? O atendente falou para eu fazer um recurso para Brasília ou até mesmo entrar com uma ação judicial, já que administrativamente, nada mais poderia ser feito.
Engraçado é que hoje que ele foi "julgar", mas, no site já se encontra indeferido por muito tempo.

há 3 anos Segunda-Feira | 1 fevereiro 2016 | 22:51

Amigos, desculpe a ignorância, mas saberiam dizer o que significa este texto:

Prezado Sr(a).
Por gentileza procure um posto do SINE ou conveniado o qual fez o seu cadastro para ações de emprego e solicite seu histórico e em seguida dirija-se a um Posto do Ministério do Trabalho e Emprego com a seguinte documentação:

-Carteira de Trabalho;
-Formulário do Seguro-Desemprego (via marrom);
-Rescisão do Contrato de Trabalho;
-Histórico do trabalhador fornecido pelo SINE.

O que pretendem fazer diante deste quadro, eu sinceramente, não tenho grana para pagar advogado.
Já agradeço a atenção

há 3 anos Terça-Feira | 2 fevereiro 2016 | 08:47

Bom dia!!

Eu ainda não tive resposta sobre meu processo, mas so consulto pelo 158. Se alguém puder me indicar os passos para consulta pelo site...

Pessoal estou percebendo que tem milhares de pessoas com esse mesmo problema e não terá direito ao seguro. Eu nunca vi nenhuma matéria na televisão sobre isso, apenas pela internet que não tem tanta visibilidade e repercurssão. Precisamos fazer alguma coisa pra divulgar e tentar deixar isso pública, de cada 10 pessoas que eu conto a história, 9 não tem conhecimento.

Tenho contato com pesssoas da Band e pensei em fazer uma sugestão de pauta para eles. ma emissora divulgando isso, todas vão atrás.

Acredito que todos nós precisamos desse beneficio que um direito nosso.

É isso, qualquer objeção em relação a divulgação na mídia, por favor me falem, inclusive o autor do post. Vou falar com a diretora do jornal hoje e sugerir a pauta mostrando esse fórum, como exemplo.

Obrigada!

Página 2 de 14
RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.