x
CONTEÚDO notícias

Dicas

FGTS: veja o que fazer com o dinheiro liberado pelo governo

Especialista dá dicas sobre onde empregar o dinheiro do FGTS que será liberado neste mês

08/06/2020 15:40:01

11,9 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

FGTS: veja o que fazer com o dinheiro liberado pelo governo

No dia 15 de junho entra em vigor a medida do Governo Federal que libera um novo saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) , no valor de um salário mínimo (R$ 1.045). A iniciativa é para amenizar os impactos econômicos enfrentados pela população diante da pandemia do coronavírus.

O pagamento será feito da mesma forma que o auxílio emergencial, ou seja, inicialmente será depositado em uma conta digital da Caixa Econômica Federal e depois será liberado para saque presencial nas agências.

Como consequência de crise econômica, muitos trabalhadores encontram-se desempregados e sem nenhuma fonte de renda, o que têm gerado atraso em pagamentos de dívidas e, em muitos casos, dificuldades em manter as necessidades básicas das famílias.

Com a liberação do FGTS, surge uma nova dúvida na população. Qual a melhor maneira de empregar esse dinheiro diante do cenário atual? Nós entrevistamos o economista Jair Casquel Junior que deu algumas dicas para orientar a tomada de decisão.

Análise orçamentária

A primeira dica do economista é que o cidadão faça uma análise da sua situação orçamentária.

“A família que possuir contas atrasadas de serviços que são essenciais para sobrevivência, como água e luz, o ideal é tentar negociar com o fornecedor prazos mais extensos para ficar quitação dos débitos. Conforme a situação financeira for ficando em dia, as contas devem ser pagas gradativamente”, orienta.

Segundo o especialista, a situação pode gerar uma restrição no Serasa, mas, diante do cenário, a necessidade diária deve falar mais alto.

FGTS para pagar contas atrasadas

No caso de pessoas ou famílias que estão conseguindo suprir as necessidades básicas com alguma renda, mas não sobra dinheiro para pagar as contas ou para o supérfluo, o especialista orienta para estabelecer prioridades de pagamento.

“Não é recomendado que gaste todo o dinheiro do FGTS para pagar as contas atrasadas. O indicado é pagar uma ou outra conta que está atrasada por mais de 30 ou 60 dias e ir gerenciando o pagamento demais conforme forem vencendo. É importante sempre tentar deixar uma reservinha de dinheiro para emergências”, explica.

Já para aqueles que estão conseguindo manter o orçamento equilibrado, o dinheiro do Fundo de Garantia deverá ser poupado por inteiro.

“Ter uma pequena reserva, ainda que seja de apenas um salário mínimo, é a melhor opção para quem está conseguindo manter as contas em dia e as necessidades básicas. Isso porque, com o cenário futuro instável, as perspectivas não estão muito à mostra e não é possível saber quando será preciso ter um dinheiro extra”, explica Jair.

O especialista ainda alerta que não é indicado usar a o dinheiro do FGTS para comprar coisas em promoção, a não ser que a renda não esteja comprometida e que sobre dinheiro no fim do mês.

Planejamento financeiro

A disciplina financeira já era considerada necessária para uma vida sem débitos atrasados. Mas, com a pandemia e a crise financeira que de desdobrou, ela se tornou essencial para passar pelo momento com os menores danos possíveis ao bolso do cidadão.

“A situação atual está obrigando as pessoas a serem econômicas, não só com o dinheiro, mas em todo o estilo de vida. Reduzir desperdício de água, de energia elétrica e até mesmo de alimentos, por exemplo. Com essas medidas, o próprio dinheiro começa a render mais” conta o economista.

Ele ainda ressalta que, para quem conseguir aprender a conter gastos, poderá sair da crise ainda melhor.

“O planejamento financeiro está sendo implantado na população por necessidade, mas a verdade é que, ao aprender como fazê-lo de acordo com cada realidade, o cidadão terá um ensinamento que o beneficiará em diversos momentos da vida”, diz Jair.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.