x

Câmara

Projeto quer saque integral do FGTS em caso de calamidade ou pandemia

Proposta tramita na Câmara dos Deputados e prevê o saque do FGTS em caso de calamidade e pandemia que forem decretados em esfera municipal ou federal.

14/08/2020 09:10:01

8,3 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Projeto quer saque integral do FGTS em caso de calamidade ou pandemia

Está em tramitação na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 4193/20, que pretende permitir o saque integral de recursos disponíveis em contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) sempre que for decretado pelos governos municipal, estadual, distrital ou federal, estado de emergência, calamidade pública ou pandemia.

A proposta é da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP). De acordo com o texto, o saque será permitido desde a publicação do ato que reconhece esses estados e enquanto durar a situação de excepcionalidade. O trabalhador deverá residir em áreas atingidas pela situação.

Para a deputada, a medida é “uma maneira eficiente de proporcionar um auxílio financeiro imediato à população brasileira para enfrentar os reflexos econômicos, já visíveis, em razão da pandemia pelo Covid-19 ou qualquer outra situação de excepcionalidade vivenciada”.

Outras propostas FGTS

Além da proposta de Joice, o saque extraordinário do FGTS durante a pandemia já foi tema de uma medida provisória neste ano, a MP 946/20. O texto permitia ao trabalhador sacar até R$ 1.045 (um salário mínimo) do fundo, perdeu a validade por não ter sido votada dentro do prazo.

As alterações feitas na Câmara e no Senado, que ampliaram a possibilidade de saque, fizeram o Planalto desistir da proposta.

Em seguida, o relator da MP, deputado Marcel Van Hattem (Novo-RS), apresentou o Projeto de Lei 4085/20, recuperando o conteúdo do parecer. Os líderes partidários pedem urgência na votação dessa proposta.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.