x

Antecipação

IR 2021: Bancos oferecem antecipação integral da restituição

Contratações para antecipação de restituições podem ser feitas diretamente nos canais digitais das instituições.

10/03/2021 14:00:01

3,8 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

IR 2021: Bancos oferecem antecipação integral da restituição

Neste ano, os bancos estão oferecendo a possibilidade de antecipar até 100% da restituição do Imposto de Renda dos clientes. Essas contratações podem ser feitas diretamente nos canais digitais das instituições, o que facilita a vida de quem prefere se proteger contra a covid-19 em casa.

Apesar da facilidade, essa antecipação precisa ser vista como um empréstimo bancário, uma vez que ele pode estar sujeito a juros.

O pagamento na maioria dos bancos é feito de forma automática: o cliente recebe a antecipação e paga uma taxa mensal até o recebimento da restituição pela Receita Federal. Assim que o dinheiro é creditado na conta, o banco liquida a fatura aberta.

Bancos

No Banco do Brasil, por exemplo, a antecipação da restituição é feita em um limite de R$ 20 mil e são cobrados juros de 1,43% ao mês – taxa que pode variar a depender do canal de contratação escolhido e do perfil do cliente.

No Santander, as taxas chegam a 1,69% ao mês e variam conforme o perfil do cliente. Basta apresentar a declaração do IRPF 2021 e o dinheiro pode ficar disponível no mesmo dia.

O Itaú Unibanco oferece taxas de 1,73% ao mês e os limites podem chegar a R$ 5 mil para cientes do varejo e Uniclass, ou R$ 10 mil para quem for Personnalité.

Antecipar restituição

Para o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN), Reinaldo Domingos, é precisa cautela ao fechar contrato de antecipação da restituição. Em momentos de normalidade, avalia ele, o ideal é não embarcar em dívidas deste tipo, mas como o trabalhador passa por uma situação de anormalidade, a opção pode servir como um complemento de renda.

“Vivemos tempos de guerra contra o covid-19 e seus impactos financeiros, assim, esse dinheiro se mostra uma ótima alternativa para quem está com redução ou sem renda”, disse Domingos por nota.

Outro ponto que o contribuinte deve levar em conta é garantir que a declaração está correta e sem informações desencontradas, já que ele pode cair na malha fina e ter de arcar com todo o empréstimo do banco.

“Cair na malha fina é mais fácil do que parece, principalmente com a ampliação de cruzamentos de informações feita pela Receita Federal. Às vezes, a pessoa faz tudo corretamente, como manda o manual, e, assim mesmo, vai parar na malha fina. Isso acontece, por exemplo, quando a fonte pagadora fornece à Receita uma informação diferente da qual liberou para o colaborador”, indicou Domingos.

Fonte: Isto é Dinheiro

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.