x

Atualização

Caixa Tem: aplicativo é atualizado para evitar fraudes no auxílio emergencial

Com a atualização da Caixa, o trabalhador terá que enviar foto do RG ou CNH, comprovante de endereço e selfie segurando o documento.

11/03/2021 10:00:02

7,3 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Caixa Tem: aplicativo é atualizado para evitar fraudes no auxílio emergencial

Beneficiários do auxílio emergencial devem atualizar as informações pessoais no aplicativo do Caixa Tem. 

Segundo a Caixa Econômica Federal, a partir desta quinta-feira, 11, o aplicativo vai solicitar dados como foto do RG ou CNH, comprovante de residência e selfie do beneficiário segurando o documento.

Fraudes

Segundo o banco, o procedimento visa aumentar a segurança do aplicativo e dos dados do cidadão, diminuindo o risco de fraudes.

Ao longo de 2020, a liberação de benefícios como o próprio auxílio e o FGTS emergencial foi marcada pela atuação de criminosos.

Os golpes geralmente aconteciam antes mesmo do beneficiário acessar a sua poupança social digital, criada automaticamente pela Caixa no nome de milhões de brasileiros.

Os golpistas obtinham o CPF do cidadão e cadastravam o e-mail, para, então, criar um login e desviar o dinheiro depositado pela Caixa na conta.

Auxílio emergencial

O banco reforça que quem tem direito a receber o auxílio emergencial e não fizer a atualização não correrá o risco de ter o benefício suspenso. O envio das informações, no entanto, é para garantir uma segurança a mais e evitar novos golpes.

A caixa também diz que a atualização será feita inteiramente pelo aplicativo, sem necessidade do cidadão ir até uma agência.

"A Caixa já fez diversas notificações no software do aplicativo, visando aumentar a segurança. Agora é a hora de contar com o outro lado, que é o cidadão", afirma o banco.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.