x

Instabilidade

Número de empregos informais dobraram nos últimos seis anos

Pesquisa do IBGE mostra que atualmente 4 a cada 10 trabalhadores são informais.

07/10/2021 16:30:01

869 acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Número de empregos informais dobraram nos últimos seis anos Pexels

De acordo com o IBGE, o ritmo na criação de empregos informais dobrou no Brasil nos últimos seis anos e tem sido a principal marca da recuperação econômica desde 2017. 

De um total de 89 milhões de trabalhadores ocupados, 36,3 milhões são informais, ou seja, 4 em cada 10, segundo o IBGE. 

São considerados trabalhadores informais os que não possuem carteira assinada (no setor privado e doméstico) e nem mesmo CNPJ (empregadores ou empregados por conta própria).

Uma alternativa encontrada como forma de driblar a informalidade e, consequentemente, aumentar a renda, é investir nos estudos.

Contudo, mesmo com um aumento de 27% a renda caiu 26,2% na metade mais pobre do país, segundo a FGV Social que analisou os últimos dez anos para a pesquisa.

Emprego informal

Dificultando a aceleração da economia por serem menos produtivas, as vagas informais expõem cada vez mais trabalhadores à rotatividade do mercado, com altos e baixos na renda entre períodos de atividade e desocupação.

Segundo especialistas, o aumento da informalidade exige políticas de proteção a essa parcela da força de trabalho.

Os programas de auxílio a desempregados cobrem apenas trabalhadores formais, que têm direito ao seguro desemprego e ao FGTS. Mesmo os piores remunerados (até dois salários mínimos) recebem um abono salarial equivalente a até um salário mínimo por ano; e podem se aposentar pelo INSS.

Entre os informais, com exceção dos meses de pandemia em 2020 e 2021, quando receberam parcelas decrescentes (em valor e total de beneficiários) do auxílio emergencial, não existe rede de proteção aos que trabalham e perdem renda abruptamente.

Com informações da Folha de São Paulo

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.