x

RECEITA FEDERAL

IRPF 2022: auditores da RFB discordam sobre motivos da prorrogação e afirmam “descaso” com o órgão

Receita Federal do Brasil (RFB) declarou que a prorrogação deste ano seria ainda devido aos desdobramentos da pandemia de Covid-19.

09/04/2022 09:00:01

16,4 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

IRPF 2022: auditores da RFB discordam sobre motivos da prorrogação e afirmam “descaso” com o órgão Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Receita Federal do Brasil (RFB) anunciou nesta terça-feira (5) a prorrogação do prazo final para envio do Imposto de Renda Pessoa Física 2022, alterando de 29 de abril para 31 de maio.

Este é o terceiro ano consecutivo que a extensão da data final acontece, e segundo o órgão, se deu devido a problemas enfrentados ainda em decorrência da Covid-19.

Na contramão da declaração da RFB, o Sindifisco Nacional (Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil) publicou uma nota rebatendo o órgão e declarando que a verdadeira razão para a prorrogação do IRPF seria o “descaso” do governo com a Receita.

"A Receita Federal insiste em negar que seu funcionamento está extremamente comprometido por um orçamento pífio que não sustenta qualquer projeto e que, se não reposto, finda já nos próximos meses", afirmou o sindicato em nota à imprensa.

Segundo a nota, outro fator que piora a situação vivida pela Receita é a falta de concursos públicos, que reduziu em 40% o efetivo de Auditores-Fiscais, e a não regulamentação da Lei 13.464/2017, que também comprometem o trabalho dentro do órgão.

“É inegável que a Receita Federal está sendo desmontada e não há mais como a sua Administração se omitir. Estamos frente a uma mobilização na qual cinco mil Auditores-Fiscais assinaram carta se recusando a assumir cargos de chefia”, declarou o Sindifisco.

Por fim, o sindicato ainda pede consideração e respeito do governo federal com o órgão, principal arrecadador do país, e ressalta sua função estratégica e necessária para o funcionamento econômico e social do Brasil.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.