x

IRPF

IRPF 2022: 19 milhões de declarações já foram entregues

Cerca de 15 milhões de declarações do Imposto de Renda ainda não foram entregues.

05/05/2022 09:30:01

1,1 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

IRPF 2022: 19 milhões de declarações já foram entregues Pexels

A Receita Federal recebeu até a manhã desta quarta-feira (4), 19.024.025 declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2022, ano-calendário 2021.

A expectativa é de que 34 milhões de declarações sejam enviadas até 31 de maio, data em que encerra o prazo de entrega da obrigação.

Restituição do IR

Alguns contribuintes terão direito à restituição do Imposto de Renda, ou seja, à devolução de parte do tributo pago.

Isso porque, a lei prevê o pagamento do tributo mensalmente, no momento que recebemos os rendimentos (durante o ano-calendário). 

Por isso, pagamos o imposto, seja pela retenção na fonte, quando recebido de empresas, ou pelo pagamento do Carnê-Leão, quando recebido de pessoas físicas ou de fontes situadas no exterior.

No ano seguinte ao recebimento dos rendimentos é feita a declaração de ajuste do imposto de renda, onde é preciso informar tudo o que o contribuinte recebeu e o que pagou (ou retido) de imposto no ano-calendário. 

O programa do imposto de renda faz os cálculos e verifica se:

  • O imposto já pago foi exatamente o valor devido, gerando uma declaração sem saldo a pagar ou a receber;
  • O imposto já pago foi menor que o devido, gerando declaração com imposto a pagar;
  • O imposto já pago foi maior que o devido, gerando declaração com imposto a restituir.

A restituição do imposto de renda, portanto, é a devolução do valor do imposto pago a mais durante o ano-calendário.

IRPF: Receita Federal alerta para p e-mail falso com comprovante de pagamento da restituição

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.