x

Imposto de Renda é o "Natal" contábil

O crescente número de pessoas físicas que vêm se enquadrando, ano a ano, ao perfil de contribuintes da Receita Federal, somado ao nível

25/04/2009 00:00:00

1,6 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

O crescente número de pessoas físicas que vêm se enquadrando, ano a ano, ao perfil de contribuintes da Receita Federal, somado ao nível de dificuldade encontrado para realizar a declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física, vêm aumentando cada vez mais a contratação de profissionais da área contábil para fazer o IRPF e evitar problemas das chamadas pessoas "comuns" com a malha fina. A demanda é tão grande que, em alguns escritórios, a receita chega a aumentar, em média, 50% no período em que são recolhidas as declarações deste tipo. Por isso, para o setor, esse período equivale à época de Natal para o varejo.

É o caso do escritório contábil Fharos Assessoria Empresarial, que, mesmo sem fazer um trabalho ativo de prospecção de clientes, já notou um aumento de 5% em relação à demanda de declarações de pessoa física do ano passado. "Nosso faturamento aumenta cerca de 50% nesta época do ano, e até agora entregamos, em média, 200 declarações. A maioria dos contribuintes está se conscientizando de que as informações entregues à Receita são cruzadas", explicou Dora Ramos, diretora da Fharos.

A executiva conta que vem notando, há cerca de dois anos, um comprometimento maior do contribuinte em relação às obrigações para com a Receita Federal, até pelo grande monitoramento da máquina fiscal, que está fechando o cerco a cada ano. De acordo com Dora, a expectativa é de que sejam entregues, até o final do prazo, que termina em 30 de abril, cerca de 420 declarações. "As que ainda não estão prontas dependem de algum documento que o contribuinte esqueceu de entregar", disse.

Dora explica que, nos dias de hoje, fazer uma declaração não é simplesmente preencher o formulário normal ou via internet, mas fazer uma análise de toda a documentação entregue pelo cliente, para verificar se sua renda está condizente com a variação do patrimônio, além de uma série de fatores. "O contador precisa fazer a interpretação da declaração, por isso, em certos momentos, precisamos fazer perguntas invasivas quando alguma informação não confere", explicou.

A Caldo Assessoria Empresarial também já notou um aumento de demanda em relação ao ano passado. Segundo Maria Luiza Caldo, diretora da assessoria, neste período do ano a receita de seu escritório aumenta cerca de 30%, em consequência do alto grau de dificuldade sentido pelos contribuintes na hora de preencher a declaração. "O contribuinte comum tem dificuldade, ainda mais depois de tantas mudanças na legislação. O contador ajuda nesse trabalho e precisa fazer uma lista de documentos para ajudar o cliente", explicou Maria Luiza.

A executiva conta que o número de declarações entregues por seu escritório deve ser 17% maior do que no ano passado. "Ainda temos muitas solicitações para receber e algumas declarações que ainda não foram entregues por falta de informação do contribuinte", explicou a executiva.

Ainda assim, a Caldo já concluiu cerca de 20% de todas as declarações que pretende entregar até o fim do prazo. "A cada ano, o brasileiro tem se preocupado mais em antecipar a declaração. A fiscalização do governo está cada vez mais eficaz ", explicou a contadora, que pretende entregar 350 declarações até o dia 30.

Mauro De Martino Júnior, presidente da Federação dos Contabilistas do Estado de São Paulo, acredita que uma das vantagens do Imposto de Renda Pessoa Física 2009 é que, com a mudança na tabela -que ficou mais flexível-, a carga tributária para o contribuinte diminuiu. "Foram introduzidas novas alíquotas, de 7,5% e 22,5%, que favorecem o aumento da renda do cidadão brasileiro", explicou o advogado.

Regras
Luci Melita Vaz, vice-presidente de Registro do Conselho Federal de Contabilidade, lembra que devem declarar o IRPF os contribuintes que receberam rendimentos tributáveis no ano passado de valor superior a R$ 16.473,72, os que receberam rendimentos isentos ou tributáveis com valor superior a R$ 40 mil, que são ou foram sócios de alguma empresa durante o ano de 2008, e pessoas que tiveram renda superior a R$ 82.368,60 em atividades rurais.

Luci explica que há novidades este ano. O formulário on-line, por exemplo, não separa a declaração simples da completa, é unificado, e o programa informa o contribuinte de qual das duas opções é mais interessante.

"No ano passado quando a pessoa não tinha despesa, optava pelo padrão, e muitas vezes não compensava. O novo programa ficou mais eficiente para os contadores", diz.

Fonte: DCI

Enviado por: Wilson Fernando A. Fortunato

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.