Contábeis o portal da profissão contábil

2
Set 2014
23:09

BUSCAR NO FÓRUM

buscar


Imposto de Renda Pessoa Física 2014

1311   respostas
85.330   acessos
  

mostrando página 7 de 47

POSTS RELACIONADOS

José Irineu F. Neto

Usuário Estrela de Prata

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 10:59:34
Bom dia Rogerio de Souza Santos,

Foi porque servidor tá dando erro, quando estava postando a mensagem a parecia dizendo que não foi postada, por este motivo foi duplicada a pergunta.
Com relação a minha pergunta ainda estou com dúvida, pois o meu cliente tem 32 anos ele não terá dedução com instrução ensino superior?

Desde já agradeço ajuda

Para Deus todas as coisas são possíveis. (Mateus 19:26)
Valter Arruda

Usuário Iniciante

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 10:59:34
IRPF
A esposa é brasileira na condição de residente no Brasil e obrigada a declarar o IRPF. O marido é estrangeiro, na condição de não residente e está trabalhando no Brasil a serviço de empresa estrangeira.Como justificar o aumento patrimonial da esposa, já que ocorre com auxilio do marido?
Leonardo Pavani

Usuário Ativo

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 11:05:44
Bom dia,

Em 2013 uma PF adquiriu um veículo em Jan/2013, pagou algumas parcelas e não conseguiu mais pagar este veículo, ela entregou a outra PF pela dívida remanescente. Esta pessoa física está obrigada a declarar o IRPF 2014/2013, como devo colocar esta situação na declaração dela?

Obrigado!

Att,

Leonardo Pavani

" Pra quem não sabe ler, o letreiro é somente um desenho"
Alvaro

Usuário Novo

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 11:13:55
Sobre o Imposto de Renda, estou fazendo uma declaração de IR de minha cliente, que é aposentada do INSS. Ela teve rendimentos tributáveis de 40.280 .
Imposto Retido 2.1944.
13º 3.187,77

Minha Duvida é que ela tem aquele Rendimento Recebido Acumuladamente (RRA), este item como é novo ainda gera dúvidas. Nos RRA esta assim:
1. Total Rend. Tributáveis 8,10
2. Exclusão: Despesa com ação judicial de 30.327,28 (aqui esta minha dúvida não sei onde lançar este valor), como ele é alto estou receoso de errar.

No programa do Imposto de renda, como lançar estes 30.327,28, em qual campo?
Obs. Quantidade de meses 0
No fim da folha esta RRA 05/05/06 a 31/07/12 Vl Trib: 32.327,28
Perguntei a minha cliente se ela pagou advogado ela so falou que eles depositaram este valor na conta dela

Desde já agradeço
postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 11:26:15
Pessoal estou com algumas dúvidas, em uma declaração a esposa do declarante ganha 1 salário mínimo, é possível indicá-la como dependente dele? Esta esposa tem custos com pagamentos de plano de saúde, é possível declará-los? consórcio não contemplado e rendimentos da poupança com valores baixos devem ser declarados?

Contatos:
MSN - iuri.sorrentino@hotmail.com
CEL - (66) 9216-4515/ 9624-5170
Maximus

Usuário Novo

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 11:41:35
Bom dia.

Algum dos presentes sabe informar a respeito da Fonte Pagadora que deve ser informada com relação ao SAQUE DO FGTS / 40% DE MULTA ?

Vi que um colega respondeu que no caso do SEGURO-DESEMPREGO a fonte pagadora em tese seria a CAIXA ECONOMICA FEDERAL, essa era outra dúvida que tinha.

Percebi neste tópico que esta questão já foi perguntada por diversos usuários, mas sem uma resposta conclusiva e com fonte.

Obrigado.
postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 12:00:57
Pessoal bom dia.

Estou com a seguinte duvida: Uma cliente recebeu um seguro de vida de seu pai. É necessário estar declarando essa informação e se positivo em que campo do Programa de preenchimento eu informo esse valor?

Grato a todos.

Giuseppe Francisco Chinelato
Contador
Piracicaba-SP
Saulo Heusi

Usuário VIP

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 13:02:54
Boa tarde Maximus

Linha 03 "Indenizações por Rescisão de Contrato de Trabalho, Inclusive a Título de PDV, e por Acidente de Trabalho; e FGTS" da Ficha "Rendimentos Isentos e não tributáveis".

O CNPJ é o da fonte pagadora (empresa) a CEF não paga FGTS à ninguém ela apenas administra a conta

...

Saulo Heusi

Usuário VIP

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 13:05:38
Boa tarde Giuseppe

... Uma cliente recebeu um seguro de vida de seu pai.

Em que circunstâncias, por que ele recebeu o seguro de vida que do pai?

...

Saulo Heusi

Usuário VIP

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 13:17:06
Boa tarde Iuri,

... em uma declaração a esposa do declarante ganha 1 salário mínimo, é possível indicá-la como dependente dele? Esta esposa tem custos com pagamentos de plano de saúde, é possível declará-los? consórcio não contemplado e rendimentos da poupança com valores baixos devem ser declarados?

Exatamente!

Você deve declarar (também) todos os rendimentos tributáveis e não, bens e direitos e dividas e ônus reais do dependente

Uma vez feito isto, simule a DIRPF do titular para ver se é (ou não) interessante declarar o dependente com vistas a obter a dedução de R$ 2.063,64. Caso não seja não declare o dependente ou (se preferir) faça uma declaração separada para o dependente em questão.

A principio não é interessante incluir os rendimentos de mais ou menos oito mil do dependente com vistas a obter a dedução de dois mil, pois isto oneraria os rendimentos tributáveis na DIRPF do titular

...
Valter Arruda

Usuário Iniciante

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 13:23:43
Maximus,

Referente sua pergunta: "Algum dos presentes sabe informar a respeito da Fonte Pagadora que deve ser informada com relação ao SAQUE DO FGTS / 40% DE MULTA ?"

Por experiência própria anterior a Receita considera o CNPJ do banco pagador, no caso a Caixa.
Maximus

Usuário Novo

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 13:39:53
Prezados Saulo e Varruda,

Primeiramente obrigado pela resposta de ambos.

Vejo que alguns colegas entendem que o CNPJ a ser utilizado é o da Caixa e outros o do antigo empregador. Justamente aí fico preocupado, pois pesquisando no FAQ da Receita Federal não uma resposta "objetiva" quanto a isto.

Inclusive mandei um e-mail para o SAC da RF fazendo este mesmo questionamento e eles me deram uma resposta padrão sem mencionar a fonte pagadora.

Também estou pendendo Saulo a informar o CNPJ do antigo empregador, mas já diversos colegas (como Varruda) terem um racional diferente, de que deveria-se informar o CNPJ da Caixa.

No caso do INSS informei o da CAIXA, pois um colega postou uma resposta da Receita Federal afirmando que seria o correto.

Alex Ferreira Marques

Usuário Iniciante

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 14:25:41
Boa tarde,

Um contribuinte adquiriu um imóvel residencial no valor de 450.000,00, o monte utilizado para pagamento e a soma da economia de vários anos de um grupo familiar onde nenhum nunca declarou ter alguma renda nem a fonte que foi arrecada. Como proceder diante deste fato, não declarar o imóvel adquirido, ou informar o imóvel mesmo não comprovando a origem da renda, visto que o cartório informa a RFD a aquisição?
Rogerio de Souza Santos

Usuário Estrela Dourada

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 14:45:33
Alex Ferreira,
Está um pouco confusa s/pergunta:
Pela pergunta, o imóvel foi comprado em nome de um, enquanto o pagamento foi feito por várias pessoas de um grupo familiar?
Estas pessoas nunca fizeram declaração de renda?
O dinheiro usado para pagamento estava em bancos?

Com certeza esta declaração tem que ser feita(aquisição de bem acima de 300.000,00).


Na espera,

Rogerio de Souza Santos
Rogerio de Souza Santos

Usuário Estrela Dourada

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 15:12:02
José Irineu,

Se a despesa c/instrução for do próprio contribuinte, poderá sim usar o beneficio(dedução)- limite 3.230,46.

Só não pode usar a dedução p/DEPENDENTES acima de 24 anos.

Um abraço,

Rogerio de Souza Santos
Amarildo Ramos

Usuário Iniciante

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 15:17:36
Olá, tenho a seguinte dúvida: declarando esposa como dependente no Plano de Saúde sou obrigado a declara-lo como dependente na declaração do TITULAR ou somente relaciona-la na aba da IRPF2014(PAGAMENTOS EFETUADOS) e informar o valor que foi pago, mesmo fazendo as declarações em separado não terá problema algum? Outro detalhe: Pagando PLANO DE SAÚDE para filho com o contrato em nome de um dos pais posso informar na declaração do que for mais vantajoso mesmo não sendo este quem esteja pagando o plano e declarar os valores deste PLANO DE SAÚDE?
Lidiany Cristina

Usuário Novo

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 16:01:59
Boa tarde!

Estou com a mesma duvida do EDSON LUCAS sobre FGTS lançado no campo 3 na ficha Rendimentos Isentos e Não Tributáveis. O programa IRPF 2014 agora pede a fonte pagadora (CNPJ) o que não era solicitado em declarações anteriores. Minha duvida é qual CNPJ devo informar o da Caixa ou do empregador?

att
Lidiany
Fabio Coa

Usuário Novo

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 17:18:39
Olá pessoal,

Estou com algumas dúvidas sobre o IRPF.

Meu pai faleceu em Dezembro de 2013, devido a uma doença terminal.

Antes do fato ele fez a doação com reserva de usufruto para os filhos, por lei, ele e minha mãe ficaram com 1/3 do valor como usufruto e os outros 2/3, a nua-propriedade, ficou com os filhos.

Antes do falecimento ele já não tinha mais bens.

A título de exemplo um dos imóveis estava declarado no IRPF do meu pai por R$ 12.000 e na escritura de doação foi informado R$ 150.000,00 sendo R$ 50.000,00 de usufruto e R$ 100.000,00 de nua-propriedade.

Na declaração da minha mãe que está viva deixei o valor de R$ 50.000,00 no item bens, código 99 (outros), o usufruto.

Na minha declaração o valor que me cabe da nua-propriedade ficou em Bens, código 12 (casa) e em rendimentos isentos item 10 (doações)

Diante do exposto.

São 3 dúvidas:

1. Devo fazer o Ganho de Capital da doação a maior, sobre o valor de R$ 100.000,00 (somente nua-propriedade) ou de R$ 150.000,00 (usufruto + nua-propriedade)?

2. Quando minha mãe vier a falecer o usufruto deve ser transferido e somado ao valor da nua-propriedade dos filhos e incluído mais uma vez o restante em rendimentos isentos item 10 (doações)?

3. Como meu pai faleceu em 2013 e fez a doação com usufruto, posso preencher a declaração comum de IRPF e no ano que vem realizar o cancelamento do seu CPF direto na Receita Federal? Ou devo necessariamente fazer a declaração final de espólio, mesmo ele não tendo mais bens ao final de 2013?

Mariluci Ferreira Fernandes

Usuário Iniciante

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 17:52:53
Gostaria de saber,sobre ajuda de custo e diárias,pois apareceu no meu informe de rendimento isentos e não tributáveis.aonde coloco na declaração??? e a contribuição a previdencia privada a FAPI, tb apreceu,alguem poderia me ajudar??
Claudenir

Usuário 4 Estrelas Novas

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 18:09:52
Os rendimentos tributados recebidos de pessoa jurídica pelo titular, informa-se no item: PAGAMENTOS EFETUADOS no irpf 2014?
postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 18:40:59
Olá, colegas!

Tenho uma dúvida quanto à declaração do IRPJ deste ano. Bem, em 2012 houve a venda de um imóvel recebido como herança. Não houve ganho de capital, o valor da venda foi dividido entre os herdeiros e a minha cliente informou a transação à Receita em sua declaração do ano-calendário de 2012. Pergunto eu, na declaração de 2013 em Bens e Direitos, devo ainda mencionar o imóvel vendido com o valor venal no campo Situação em 31/12/2012 e no campo 31/12/2013 valor zerado, ou não menciono mais o imóvel?

Agradeço a atenção!


Alexandra Almeida.
Alfredo Ivan Paiao

Usuário Novo

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 19:37:48
Boa Noite

Vou relatar o problema.

Um tio comprou um imóvel em 10/2003 por 65.000. O mesmo veio a falecer em 2012 foi feito o inventario para os dois filhos, em maio de 2013 o imóvel foi vendido por 338.000,00 ( já incluso o valor da corretagem). Os dois não pagaram nada de ganho de capital e a receita os convocou. Não existia esse imóvel na declaração de espolio.

as perguntas são:

1) Posso descontar o valor da corretagem da venda do imóvel.

2)No posto da receita o servidor disse que eu poderia retificar o IRPF do espolio e atualizar o imóvel para o valor do mercado.

3)Qual seria a melhor opção para pagar o ganho de capital dentro da lei.

Fico grato
Cida

Usuário Iniciante

postada em: Terça-Feira, 18 de março de 2014 às 23:11:50
Boa Noite pessoal

Entreguei minha declaração de ajuste anual ano-calendário 2013 em 06/03/2014, ao efetuar a consulta no site da receita federal no meu CPF consta que a declaração está na base de dados da receita, mas ao tentar gerar o código de acesso para consultar o extrato, aparece a mensagem: "não foi possível gerar o código de acesso pelo seguinte motivo: Você não apresentou declaração de imposto de renda (DIRPF) como titular em nenhum dos dois últimos exercícios."
Alguém sabe o que pode ter acontecido ?
Saulo Heusi

Usuário VIP

postada em: Quarta-Feira, 19 de março de 2014 às 09:36:59
Bom dia Alfredo

Um tio comprou um imóvel em 10/2003 por 65.000. O mesmo veio a falecer em 2012 foi feito o inventario para os dois filhos, em maio de 2013 o imóvel foi vendido por 338.000,00 ( já incluso o valor da corretagem). Os dois não pagaram nada de ganho de capital e a receita os convocou. Não existia esse imóvel na declaração de espolio.
as perguntas são:

1) Posso descontar o valor da corretagem da venda do imóvel.
2)No posto da receita o servidor disse que eu poderia retificar o IRPF do espolio e atualizar o imóvel para o valor do mercado.
3)Qual seria a melhor opção para pagar o ganho de capital dentro da lei.

Na mesma ordem aposta por você:

1 - Não só pode, como deve

2 - O servidor da Receita Federal está completamente errado em sua afirmação. Não se pode atualizar bens imóveis a valor de mercado, se fosse possível ninguém mais pagaria imposto de renda sobre ganho de capital, pois não mais existiriam ganhos

3 - Cada herdeiro deve declarar o ganho separado de conformidade com a parte que lhe coube. Isto significa dizer que o ganho de capital pode (por exemplo) ser tributado para um e não ser para o outro. Tenha em conta a venda de imóvel no valor de até R$ 440.000,00 desde que seja o único que o contribuinte possuiu nos últimos cinco anos ou que o dinheiro da venda tenha sido utilizado na compra de imóvel residencial em até 180 dias contados a partir da data da assinatura do contrato, é isenta de imposto de renda.

...
Saulo Heusi

Usuário VIP

postada em: Quarta-Feira, 19 de março de 2014 às 09:37:31
Mensagem editada por ter sido postada em duplicidade (falha na internet)

...
Saulo Heusi

Usuário VIP

postada em: Quarta-Feira, 19 de março de 2014 às 09:45:06
Bom dia Cida

Entreguei minha declaração de ajuste anual ano-calendário 2013 em 06/03/2014, ao efetuar a consulta no site da receita federal no meu CPF consta que a declaração está na base de dados da receita, mas ao tentar gerar o código de acesso para consultar o extrato, aparece a mensagem: "não foi possível gerar o código de acesso pelo seguinte motivo: Você não apresentou declaração de imposto de renda (DIRPF) como titular em nenhum dos dois últimos exercícios."

Enquanto na base de dados da Receita Federal não será possível consultar sua DIRPF, pois ainda está sendo analisada

Se você não transmitiu como titular as duas últimas DIRPFs a elaboração do Código de Acesso será impossível.

Veja aqui as orientações acerca da Geração do Código de Acesso para o Portal e-CAC

...
Saulo Heusi

Usuário VIP

postada em: Quarta-Feira, 19 de março de 2014 às 09:50:52
Bom dia Alexandra,

... em 2012 houve a venda de um imóvel recebido como herança. Não houve ganho de capital, o valor da venda foi dividido entre os herdeiros e a minha cliente informou a transação à Receita em sua declaração do ano-calendário de 2012. Pergunto eu, na declaração de 2013 em Bens e Direitos, devo ainda mencionar o imóvel vendido com o valor venal no campo Situação em 31/12/2012 e no campo 31/12/2013 valor zerado, ou não menciono mais o imóvel?

Se o imóvel foi vendido em 2012 o fato deve ser deve ser informado na DIRPF 2013/2012 como existente na coluna 31/12/2012 e inexistente na coluna 31/12/2013. A despeito de não haver o ganho de capital a alienação deve ser informada no programa Ganhos de Capital 2013 e exportada para DIRPF daquele ano.

Assim na DIRPF de 2014/2013 ele não mais constará

...
Rodrigo Souza de Lima

Usuário Iniciante

postada em: Quarta-Feira, 19 de março de 2014 às 09:53:00
Bom dia,

Pessoal estou com uma dúvida com relação a compra de uma moto.

*Comprei uma moto em 05/09/2013 valor total da Nota R$ 8.800,00 no CARTÃO DE CREDITO parcelado em 12x.

* Como fica o bem e estas parcelas na minha declaração, sendo que parcelei no cartão de credito?

Atc,
Rodrigo Souza de Lima

Usuário Iniciante

postada em: Quarta-Feira, 19 de março de 2014 às 09:53:28
Bom dia,

Pessoal estou com uma dúvida com relação a compra de uma moto.

*Comprei uma moto em 05/09/2013 valor total da Nota R$ 8.800,00 no CARTÃO DE CREDITO parcelado em 12x.

* Como fica o bem e estas parcelas na minha declaração, sendo que parcelei no cartão de credito?

Atc,
Joao C.

Usuário Iniciante

postada em: Quarta-Feira, 19 de março de 2014 às 10:09:54
Bom dia. O pai de um cliente meu faleceu em Agosto/2013 e já fizeram a escritura de partilha em Dezembro/2013, porém na declaração do ano passado tinham vários bens (c/c, poupanças, dinheiro em caixa) que não entraram na partilha junto com os filhos pois eram em conjunto apenas com a mãe, que era dependente na declaração do pai.
Como faço prá declarar e dar baixa nesses bens que pertenciam aos dois em conjunto na declaração de espólio final ???
Tenho que fazer 2 declarações esse ano ??? uma normal para baixar os bens em conjunto e outra de espólio final somente com os bens da partilha ???
ou somente tiro os bens em conjunto da declaração final de espólio e lanço na declaração da mãe apenas ??? e na de espólio final fica somente os bens em partilha ???

aguardo - obrigado

mostrando página 7 de 47

Você precisa ser cadastrado para responder mensagens

Quem participa

ACOMPANHE NOSSO PORTAL FACEBOOK

facebook.com/portalcontabeis

Receba Novidades


Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

POSTS RELACIONADOS

ACOMPANHE NOSSO PORTAL FACEBOOK

facebook.com/portalcontabeis

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários e visitantes deste site, tudo nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Página carregada em 3.24 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César